A mudança climática é a principal preocupação do mundo

À frente de terrorismo da ISIS ou das disputas territoriais da China ou da Rússia, a mudança climática é atualmente a principal preocupação do mundo, de acordo com um estudo realizado nos EUA.

0
2523

Publicado na Scientific American

Uma pesquisa realizada pelo Pew Research Center (think tank com sede em Washington, EUA) entrevistando 45.340 pessoas em 40 países, mostra que a mudança climática é a principal preocupação em todo o mundo.

O trabalho de campo para o estudo foi realizado entre março e maio de 2015. Os entrevistados foram solicitados a indicar o seu nível de preocupação sobre sete temas (mudanças climáticas, a instabilidade econômica, ISIS, governos ou ciberataques as empresas, as tensões entre a Rússia e os seus vizinhos e disputas territoriais entre a China e os países vizinhos).

Em seguida, os pesquisadores utilizaram o percentual de pessoas que tinham afirmado estarem muito preocupadas com cada um dos eventos para efetuar uma comparação entre elas. Em 19 dos 40 países, a mudança climática apareceu na primeira posição.

Os dados mais elevados estão na América Latina, onde 61% da população afirma estar muito preocupada com este fenômeno. No Peru e no Brasil, onde o desmatamento está aumentando, o percentual chega a 75%, três em cada quatro pessoas.

Em 7 dos 9 países da África Subsaariana, a mudança climática é o maior motivo de preocupação para os entrevistados, com uma média geral de 59%. Os valores mais elevados são dadas em Burkina Faso (79%), Uganda (74%) e Gana (71%).

Ásia, uma das regiões mais vulneráveis, é a terceira área em que a mudança climática é a principal preocupação. Embora a taxa média é de 41%, há desequilíbrios significativos entre países como a Índia (73%) e Filipinas (72%) comparados a China (19%) e Paquistão (25%).

Espanha, à frente da Europa

Embora 42% dos europeus dizem que estão preocupados com a mudança climática, em nenhum país o evento ocupa o primeiro ou o segundo lugar na lista de preocupações dos cidadãos. Isto é devido às percentagens ainda mais elevadas obtidas em outros problemas, tais como o ISIS ou instabilidade econômica.

Mais uma vez eles destacam as grandes diferenças entre os países, como na Espanha (59%) e na Polônia (14%), como os casos mais extremos.

Como os autores da pesquisa enfatizam, diferenças ideológicas são bastante pronunciadas. No caso do Reino Unido, por exemplo, 49% das pessoas com ideologia de esquerda dizem que estão preocupados com o fenômeno, em comparação com apenas 30% daqueles da direita. Embora não sejam porcentuais tão altos, algo semelhante acontece na Itália, França e Espanha.

América do Norte, mais preocupado com o ISIS

No Canadá e nos Estados Unidos, o número de pessoas que dizem estarem muito preocupadas com a mudança climática é proporcionalmente igual à da Europa, 42%. Mas estes números são minimizados quando comparados com os obtidos por outros temas, já que o evento ocupa o penúltimo lugar, superando apenas para disputas territoriais da China na Ásia.

Na América, a ideologia é um fator ainda mais decisivo do que na Europa. Enquanto 62% dos eleitores do Partido Democrata manifesta a sua inquietação, apenas 20% dos republicanos dizem se sentirem afetados.

CONTINUAR LENDO