Abacate antes do exercício pode ajudar a reduzir riscos de complicações cardiovasculares

0
171
Crédito: Rawpixel.

Na tentativa de evitar problemas de saúde devido aos efeitos colaterais de medicamentos durante o exercício, pesquisas com intervenções não-farmacológicas são um tema apropriado para ser explorado em pessoas que treinam frequentemente e para quem pretende iniciar um hábito mais frequente de exercícios.

Um composto promissor que tem recebido atenção é o abacate (Persea americana). Ácidos fenólicos e flavonóides foram encontrados em sementes de abacate, sugerindo um efeito de suporte na saúde cardiovascular.

O estudo publicado na Scientific Reports teve como objetivo analisar os efeitos da ingestão de cápsulas de abacate antes do esforço sobre a recuperação após exercício, um procedimento que fornece estimativa acerca do risco do indivíduo sofrer complicações cardiovasculares. A pesquisa foi conduzida pelo Centro de Estudos do Sistema Nervoso Autônomo, da UNESP de Marília.

O estudo é um ensaio clínico, randomizado, duplo-cego e controlado por placebo, na intenção de fornecer maior confiabilidade nos resultados.

Foram analisados 16 mulheres. O cálculo estatístico indicou significância para essa amostra para uma população de mulheres entre 18 e 23 anos sem doenças.

Assim, as voluntárias foram excluídas caso apresentassem distúrbios cardiorrespiratórios, neurológicos, musculoesqueléticos, renais, metabólicos, endócrinos e outros problemas relatados que proibiam a conclusão bem-sucedida dos protocolos, os indivíduos em uso de medicamentos e tabagismo. Além disso, as voluntárias não participaram caso estivessem entre o 10º e 15º dias e entre o 20º e 25º dias do ciclo menstrual, a fim de evitar influência da fase lútea e folicular, respectivamente. Foram excluídas voluntárias sedentárias, inadequadamente ativas ou hiperativas avaliadas de acordo com o Questionário Internacional de Atividade Física.

O grau de estresse do corpo foi mensurado por meio da atividade eletroquímica da pele, ritmo do coração e pressão arterial.

Como etapa inicial do protocolo, as mulheres ingeriram 600 mg de polpa de abacate ou placebo (600 mg de amido) em cápsulas idênticas 60 minutos antes do protocolo de exercícios. Após a ingestão das cápsulas, as voluntárias permaneceram sentadas, continuando a respiração espontânea até o início dos procedimentos experimentais.

As voluntárias começaram o exercício em esteira com inclinação de 1% nos primeiros 5 min para aquecimento (50–55% da FC máxima (FCmax): 208 – 0,7 × idade), após isso, a velocidade aumentou em incrementos de 0,5 km / h a cada minuto até atingir a FC submáxima (65–70% da FCmáx) e, então, permanecer nessa velocidade por 25 minutos. Imediatamente após o exercício, as voluntárias permaneceram por três minutos em pé na esteira e, em seguida, permaneceram sentadas para recuperação passiva por mais 57 minutos, totalizando 60 minutos de recuperação.

Os resultados apontaram recuperação após exercício mais rápida quando as participantes ingeriram cápsulas de abacate. Dessa maneira, a conclusão constata que o abacate reduziu as chances de complicações cardiovasculares após esforço físico.