Cientistas acham que esses enormes ossos podem pertencer ao novo maior dinossauro de todos os tempos

0
98
Foto divulgada mostrando o processo de escavação. (Créditos: Jose Luis Carballido/CTyS-UNLaM/AFP)

Publicado na ScienceAlert

Cientistas descobriram enormes fósseis de 98 milhões de anos no sudoeste da Argentina que dizem ter pertencido ao maior dinossauro já descoberto.

Pedaços de ossos fossilizados do tamanho de um humano pertencentes ao saurópode gigante parecem ser 10-20 por cento maiores do que aqueles atribuídos ao Patagotitan mayorum, o maior dinossauro já identificado, de acordo com um comunicado na quarta-feira da agência científica CTYS da Universidade Nacional de La Matanza.

Os saurópodes eram enormes dinossauros herbívoros, de pescoço longo e cauda longa – as maiores criaturas terrestres que já existiram.

Entre eles, Patagotitan mayorum, também da Argentina, pesava cerca de 70 toneladas e tinha 40 metros de comprimento, ou aproximadamente o comprimento de quatro ônibus escolares.

(Créditos: Jose Luis Carballido/CTyS-UNLaM/AFP)

Alejandro Otero, do Museu de La Plata, da Argentina, está trabalhando para fazer uma reconstrução do novo dinossauro a partir de duas dúzias de vértebras e de pedaços de osso pélvico descobertos até agora.

Ele publicou um estudo sobre o dinossauro não identificado para a revista científica Cretaceous Research, de acordo com o comunicado da universidade.

A busca por mais partes do corpo, enterradas profundamente na rocha, continua. Para os cientistas, o Santo Graal será o grande fêmur ou um dos úmeros, que são úteis para estimar a massa corporal de uma criatura extinta.

Os enormes fósseis foram descobertos em 2012 no Vale do Rio Neuquen, mas os trabalhos de escavação só começaram em 2015, de acordo com o paleontólogo Jose Luis Carballido, do Museu Egidio Feruglio.

(Créditos: Jose Luis Carballido/CTyS-UNLaM/AFP)

“Temos mais da metade da cauda, ​​muitos ossos do quadril”, disse Carballido, que também trabalhou na classificação do Patagotitan há alguns anos.

“Obviamente ainda está dentro da rocha, então temos mais alguns anos de escavação pela frente”.

O enorme esqueleto foi encontrado em uma camada de rocha datada de cerca de 98 milhões de anos atrás, durante o período do Cretáceo Superior, acrescentou o geólogo Alberto Garrido, diretor do Museu de Ciências Naturais de Zapala.

“Suspeitamos que a amostra pode estar completa ou quase completa”, disse ele.

“Tudo depende do que acontecerá com as escavações. Mas, independentemente de ser maior [que o Patagotitan] ou não, a descoberta de um dinossauro intacto de tais dimensões é uma novidade.”