Cientistas desenvolvem fibras de grafeno super-flexíveis

0
3476
Fibra de grafeno fortes e elásticas podem ser amarradas como fios. Créditos: Grupo de Terrone/Penn State

Um simples e escalável método de fazer fibras de óxido de carbono fortes e elásticas que são facilmente dobradas em fios e que têm um forte aproximamento da fibra Kevlar é agora possível, de acordo com pesquisadores das Universidades Shinshu, no Japão, e da Pensilvânia.

“Nós descobrimos que essa fibra é muito forte, melhor que outras fibras”, disse Mauricio Terrones, professor de física, química e engenharia e ciência de materiais, da Universidade da Pensivâlnia. “Acreditamos que as bolsas de ar dentro dessa fibra mantêm-no longe da fragilidade”

Esse método abre inúmeras possibilidades para a fabricação de produtos úteis, de acordo com Terrones e seus colegas. Por exemplo, a remoção de oxigênio das fibras de óxido de carbono resulta em uma fibra com alta condutividade elétrica. Adicionando nanohastes de prata, a condutividade das fibras aumenta chegando a se assemelhar ao cobre, o que poderia fazê-las substituir este nas linhas de transmissão.

Os pesquisadores fizeram uma fina película de óxido de grafeno por meio da esfoliação química do grafite em flocos de grafeno, que, por sua vez, foram misturados com água e concentrados por centrifugação em uma lama espessa. A pasta foi então espalhada por um largo prato até secar. Depois de seca, ocorre a formação de uma grande e transparente película, que pode ser cuidadosamente retirada sem se rasgar, que é cortada em tiras estreitas e enrolada sobre si mesma com um rolador de fibras automático, resultando em uma fibra que pode ser redobrada e esticada sem se quebrar. Os pesquisadores publicaram os resultados em uma edição recente da ACSNano

“A importância disso é que nós podemos nos assemelhar a quase qualquer material e abrir, a partir disso, novas avenidas – a fibra é um material leve com propriedades multifuncionais”, disse Terrones. “E o ingrediente principal, grafite, é facilmente encontrado, sendo extraído e vendido por toneladas”

As universidades querem, agora, patentear o projeto.

Os pesquisadores receberam apoio do Centro de Pesquisa de Nanocarbonos Exóticos, Japão, e do Centro de Ciência em Nanoescala, Universidade da Pensilvânia.


Artigo publicado no site do SciTechDaily, em 24 de Junho de 2014, com título Scientists Develop Super-Stretchable Yarn Made of Graphene

CONTINUAR LENDO