Cientistas identificam substância química no cérebro que suprime maus pensamentos

Créditos: Oleg Golovnev.

Por Jody Serrano
Publicado no Gizmodo

Você já teve um pensamento negativo que você não conseguiu tirar da cabeça? Você não é o único. Isso acontece com pessoas saudáveis e também com quem sofre de problemas mentais mais graves, como a ansiedade, o estresse pós-traumático, a depressão, entre outros. É possível que os cientistas descubram a chave para detê-los?

Pesquisadores da Universidade de Cambridge e da Universidade de Utah identificaram uma substância química na região do hipocampo do cérebro – que está associado com a memória – que ajuda as pessoas a bloquear pensamentos negativos de sua mente. A substância, na realidade, é o neurotransmissor GABA, que é o inibidor principal do cérebro. Quando uma célula nervosa libera GABA, ela suprime as atividades das outras células com as quais está conectada.

Em sua pesquisa, que foi publicada na revista científica Nature Communications deste mês, os cientistas realizaram um experimento com 25 homens entre 19 e 36 anos. Eles pediram aos participantes para estudar pares de palavras não relacionadas e, então, aprender a associá-las. Por exemplo, um par poderia incluir as palavras “praia” e “África”.

Logo, os pesquisadores ensinaram aos participantes uma palavra do par e um sinal vermelho ou verde. Quando observavam a palavra junto com o sinal verde, significava que tinham que recordar a outra palavra. Por outro lado, se eles observavam o sinal vermelho, tinham que evitar pensar na outra palavra.

Durante o experimento, os cientistas analisaram os cérebros dos participantes usando o procedimento de ressonância magnética funcional (que detecta mudanças no fluxo de sanguíneo) e a espectroscopia por ressonância magnética (que mude as mudanças químicas).

Eles descobriram que as pessoas que tiveram a maior concentração de GABA eram mais bem sucedidas no bloqueio de pensamentos indesejados. De acordo com os pesquisadores, o que deixa o estudo em destaque é a sua especificidade. Antes só era possível identificar a parte do cérebro que afetava a memória, mas agora eles podem comentar sobre o neurotransmissor envolvido no processo.

Os pesquisadores declaram que a capacidade de controlas nossos pensamentos é “fundamental para nosso bem-estar”. Eles pensam que sua descoberta pode ajudar a comunidade científica a obter um conhecimento mais profundo de doenças que fazem com que as pessoas perderam o controle de seus pensamentos.

O professor Michael Anderson da Universidade de Cambridge, que foi um dos pesquisadores do estudo, diz que os humanos começam a ter problemas quando esse controle está comprometido.

“Quando essa capacidade está enfraquecida, ela causa alguns dos sintomas mais debilitantes das doenças psiquiátricas”, disse Anderson. “Isso inclui memórias intrusivas, imagens, alucinações, lamentações e preocupações patológicas e persistentes”.

Referências

CONTINUAR LENDO