Como sua reação aos “Likes” do Facebook está relacionada a sua autoestima

3
1777

Por Paul Ratner
Publicado no
Big Think

Há cerca de 4,5 bilhões de “Likes” gerados diariamente no Facebook, com a metade de todos os usuários que gostam de, pelo menos, um post todos os dias, de acordo com o Pew Research Center. E, como a maioria das pessoas que já postaram uma foto no Facebook podem atestar, ganhar “Likes” nos faz sentir bem, enquanto ser ignorado por todos os seus amigos on-line pode ser potencialmente deprimente. Agora, um novo estudo lança mais luz sobre a forma de como todos estes “Likes” nos fazem sentir, achando que aqueles com um senso de propósito são menos suscetíveis de serem afetados.

“Descobrimos que ter um senso de propósito permite que as pessoas naveguem o feed de notícias virtual com mais rigidez e persistência. Com um senso de propósito, eles não são tão maleáveis quanto o número de “Likes” que recebem”, explica o professor da Universidade Cornell Anthony Burrow, o coautor do estudo. “Purposeful people noticed the positive feedback, but did not rely on it to feel good about themselves”. [“Pessoas com senso de propósito olham o feedback positivamente, mas não contam com ele para se sentir bem sobre si mesmas”].

O que é um “senso de propósito”? Para Burrow e sua equipe, são pessoas que concordaram com afirmações do tipo: “Para mim, todas as coisas que eu faço valem a pena” e “Eu tenho muitas razões para viver”. Basicamente, são pessoas orientadas para seus objetivos com uma motivação interna.

Em contraste, se você continuar olhando para o seu telefone para ver quantos gostaram de sua foto mais recente das férias, você pode estar se preparando para algumas emoções negativas.

O professor Burrow declarou:

“…Caso contrário, nos dias em que você receber poucos “Likes”, você vai se sentir pior. Sua autoestima seria dependente do que as outras pessoas dizem e pensam. A longo prazo, isso não é saudável, pois não é adaptável. Você irá querer se expor com rigidez… : “Eu sei quem eu sou e me sinto bem com isso”.

Os pesquisadores propõem que, porque as pessoas orientadas para seus objetivos veem suas realizações no futuro, elas são menos propensas a ficar animadas ou chateadas com recompensas imediatas que os “Likes” do Facebook proporcionam.

70% dos usuários do Facebook entram no site com frequência diária.

Como os pesquisadores chegaram a suas conclusões? Primeiro, eles estudaram as respostas de cerca de 250 usuários ativos do Facebook, medindo a sua autoestima e seu senso de propósito. Aqueles que foram considerados como tendo propósito não se importam muito sobre quantos “Likes” possuem, enquanto que aqueles com níveis mais baixos de propósito relataram uma maior autoestima quando recebem mais “Likes”.

Em um segundo estudo, os pesquisadores envolvidos uma rede social simulada chamada “Faces of the Ivies“, com 100 alunos da Cornell University, foram convidados a tirar um selfie e postá-los no site. Estudantes com menos propósito ficaram animados em receber “Likes” e sentiram um impulso na sua autoestima.

“Na verdade, os com mais senso de propósito não mostraram elevação em sua autoestima, mesmo quando eles foram informados que receberam um elevado número de ‘Likes’ “, disse Burrow.

Ser menos reativo a afirmações positivas de redes como o Facebook como não pode soar como uma grande jogada, mas ter um senso de propósito tem benefícios claros. Na verdade, se você não tiver propósito, você pode realmente agir contra os seus próprios interesses, mesmo quando coisas boas acontecerem.

Nicolette Rainone, coautora do estudo e assistente de programas para o “Program for Research on Youth Development and Engagement” [Programa de Pesquisas sobre o Desenvolvimento e Engajamento da Juventude] no “Cornell’s Bronfenbrenner Center for Translational Research” [Centro Bronfenbrenner de Investigação translacional da Cornell] explicou:

“Por exemplo, se eu estou estudando para um grande exame e obtenho uma boa pontuação em um teste prático, isto pode fazer-me pensar, ‘Oh, eu realmente não precisava estudar’. O que pode vir a diminuir a minha pontuação final, porque eu parei de persistir. Ter um objetivo mantêm-o emocionalmente estável, o que é essencial para o desempenho acadêmico e de trabalho bem-sucedido”.

Você pode ler o estudo em: ‘How many likes did I get?: Purpose moderates links between positive social media feedback and self-esteem’ [“Quantos “Likes” eu obtive?: Propósito moderado faz ligações entre retorno positivo nas mídias sociais e autoestima”] na Journal of Experimental Social Psychology.

CONTINUAR LENDO