De um buraco negro a um buraco branco: é possível essa transformação?

Créditos: NASA.

A Teoria da Relatividade Geral prediz a existência de buracos negros e buracos brancos. Várias das predições feitas por Albert Einstein, em 1915, foram confirmadas com o tempo. Sobre os buracos negros existe uma vasta constatação observacional. No entanto, o mesmo não acontece com os buracos brancos.

Em primeiro lugar, o que é um buraco branco? “É a imagem reversa temporal de um buraco negro. Um buraco branco é uma região do espaço-tempo que atua como uma fonte que ejeta matéria a partir de seu horizonte de eventos”, explicou a Infobae Daniela Pérez, PhD em astronomia e pesquisadora do CONICET do Instituto Argentino de Radioastronomia (IAR).

Há poucos dias, cientistas da Universidade Complutense de Madrid publicaram um estudo em que mostram que é possível, em um curto lapso de tempo, que um buraco negro se transforme em um buraco branco. Por exemplo, ao invés das partículas ficarem aprisionadas em seu horizonte de eventos – uma espécie de fronteira espacial – elas seriam liberadas.

Créditos: iStock.

“Isso não é uma mera especulação teórica, porque essa transição seria acompanhada de uma ‘explosão’ causada pela expulsão do material formado a partir do buraco negro. É provável que esse fenômeno seja detectado em futuras observações de ondas gravitacionais”, explicou Luis Garay, um dos autores do estudo.

Segundo Pérez, “os autores não mostram a possibilidade de uma transição entre um buraco negro e um buraco branco”. Na verdade, mostram que, após um efeito quântico, o colapso gravitacional de um objeto pararia e a sua matéria saltaria para as proximidades do limite do raio para formar um buraco negro. “Os processos de colapso e salto se repetem até que, também por efeitos quânticos, o objeto se estabilize”, pontualizou.

O trabalho procurou compreender o efeito das modificações da teoria de Einstein sobre os buracos negros. De acordo com os pesquisadores, a luz e as ondas gravitacionais podem escapar em determinadas circunstâncias a serem observadas, ao invés de ficarem presas e saírem ejetadas.

Créditos: Henning Dalhoff.

Que consequência a ação de um buraco branco traria?

“Ao contrário dos buracos negros que ‘devoram’ todos os objetos que atravessam seu horizonte de eventos, uma partícula próxima a um buraco branco não poderia cruzar o horizonte de eventos deste buraco. Caso contrário, ela deveria se mover mais rápido do que a velocidade da luz, o que não seria possível de acordo com um dos postulados da relatividade”, disse Pérez.

Sua existência está confirmada?

“Embora os buracos brancos sejam soluções para as equações de Einstein da Relatividade Geral, sua existência física nunca foi confirmada. Mais ainda, sua existência é duvidosa. Na década de 1970, os físicos russos provaram que os buracos brancos seriam instáveis como resultado de processos clássicos e processos quânticos de criação de partículas.”

Poderia um buraco negro ser convertido em um buraco branco?

“Ainda não sabemos se algo assim pode acontecer no universo. Os autores do estudo propõem um efeito quântico, mas seu estudo não trata da conversão de um buraco negro em um buraco branco, mas sim de um efeito quântico em um buraco negro que poderia evitar o colapso gravitacional de um objeto – por exemplo, uma estrela.”

CONTINUAR LENDO
FonteInfobae
Artigo anteriorOs cérebros são bayesianos?
Próximo artigoComo a pobreza afeta o cérebro
Douglas Rodrigues Aguiar de Oliveira
Sou fundador do Universo Racionalista | Graduando em Tecnologia em Redes de Computadores pela Universidade de Franca | Pós-graduando em Ethical Hacking e Cybersecurity do Centro de Inovação VincIT (UNICIV) pela Faculdade Eficaz | Especializando em Cybersecurity pela Rochester Institute of Technology (edX MicroMasters Programs) | Especialização em Fundamentals of Computing Network Security pela University of Colorado System (Coursera Specialization) | Especialização em Journey of the Universe: A Story for Our Times pela Yale University (Coursera Specialization) | Graduação interrompida em Licenciatura em Filosofia pela Universidade de Franca | Colaborador do Instituto Ética, Racionalidade e Futuro da Humanidade | Colunista da Climatologia Geográfica | Membro da Rede Brasileira de Astrobiologia | Membro do Science Vlogs Brasil | Interesse em Divulgação Científica das ciências fáticas em geral | Interesse em Filosofia da Ciência no problema da demarcação entre Ciência e Pseudociência e da justificação entre Realismo e Antirrealismo | Estudando também o problema entre Tecnologia e Pseudotecnologia na Filosofia da Tecnologia | Interesse em Segurança Defensiva e Segurança Ofensiva em sites, servidores e redes de computadores | Endereço do Currículo Lattes e do LinkedIn.