Pular para o conteúdo

Diabetes pode levar à insuficiência cardíaca de forma independente, mostra estudo populacional

Por Terri Malloy
Publicado na EurekAlert!

Os problemas de coração são um desenvolvimento comum para pessoas com diabetes. De fato, cerca de 33% das pessoas nos EUA admitidas no hospital por insuficiência cardíaca também têm diabetes. A insuficiência cardíaca pode ser o resultado de uma cocondição, como hipertensão ou doença cardíaca coronária, mas nem sempre.

Um novo estudo publicado na Mayo Clinic Proceedings examina o conceito de cardiomiopatia e insuficiência cardíaca diabéticas causadas apenas pelos efeitos da diabetes.

Utilizando o Projeto Epidemiológico de Rochester, os pesquisadores avaliaram o impacto a longo prazo da diabetes no desenvolvimento de insuficiência cardíaca, ambos com fração de ejeção preservada – uma medida da porcentagem de sangue que sai do coração a cada contração – e fração de ejeção reduzida. Eles também analisaram a mortalidade na população de uma comunidade, controlando hipertensão, doença arterial coronariana e função diastólica. Horng Chen, Médico, cardiologista da Mayo Clinic em Rochester, Minnesota, é autor sênior do estudo.

De um grupo inicial de 2.042 residentes do Condado de Olmsted, 116 participantes do estudo com diabetes foram comparados em uma proporção de 1:2 por idade, hipertensão, sexo, doença arterial coronariana e disfunção diastólica a 232 participantes sem diabetes. Durante um período de acompanhamento de 10 anos, 21% dos participantes com diabetes desenvolveram insuficiência cardíaca, independentemente de outras causas. Em comparação, apenas 12% dos pacientes sem diabetes desenvolveram insuficiência cardíaca. Morte cardíaca, ataque cardíaco e acidente vascular cerebral não foram estatisticamente diferentes no estudo entre os dois grupos.

O estudo mostra que a diabetes é um fator de risco independente para o desenvolvimento de insuficiência cardíaca na população da comunidade. Além disso, os dados do resultado apoiam o conceito de cardiomiopatia diabética.

Esta pesquisa amplia descobertas anteriores e demonstra que, mesmo sem uma anormalidade estrutural cardíaca conhecida e com uma fração de ejeção normal, os pacientes diabéticos ainda correm um risco maior de desenvolver insuficiência cardíaca em comparação com os pacientes não diabéticos.

“A conclusão chave é que a diabetes é um fator de risco independente para o desenvolvimento de insuficiência cardíaca na população da comunidade”, diz Dr. Chen. “Nossa esperança é que este estudo forneça uma base sólida para futuras investigações sobre diabetes e insuficiência cardíaca. Ainda há muito o que aprender e estudar em termos dessa associação e como melhor diagnosticar e tratar essa condição”.