Dois experimentos lançam alguma luz sobre a misteriosa quarta dimensão

Créditos: Penn State University.

Publicado na Investigación y Desarrollo

Se avançarmos ou retrocedermos em linha reta, estaremos nos movendo na primeira dimensão. Se adicionarmos voltas à direita e à esquerda, como em um quadrado, entramos na segunda dimensão. E sabemos que o próximo objeto, o cubo, nos permite ir para cima e para baixo, em uma terceira dimensão. O que não temos conhecido, porque pode ser descrito em teoria, mas não fisicamente, é o que vem seguir.

Uma forma de entendê-la é pensar na sombra bidimensional de figuras tridimensionais. Observando essas projeções, podemos obter informações sobre o objeto. Algo parecido pode ocorrer se você puder estudar sombras projetadas da quarta dimensão em suas irmãs menores.

Os estudos, que foram publicados na revista Nature, mostram que os pesquisadores usaram, respectivamente, átomos ultrafrios e partículas de luz para modelar um espaço de quatro dimensões e emular processos físicos. Seus resultados empíricos coincidem com as predições teóricas sobre como o fenômeno conhecido como ‘efeito Hall quântico’ ocorre em um sistema quadridimensional.

Suas descobertas são complementares e de grande impacto para a ciência básica. Sua importância é que eles poderiam permitir o acesso aos fenômenos físicos da quarta dimensão em nosso mundo de dimensões inferiores.

CONTINUAR LENDO
Compartilhar
Artigo anteriorO que aconteceu com o Sol na Suécia?
Próximo artigoAs civilizações extraterrestres são tecnologicamente avançadas?
Graduando em Tecnologia em Redes de Computadores (2018) pela Universidade de Franca (UNIFRAN); quase-graduado em Licenciatura em Filosofia (2014-2017) pela mesma universidade, faltando apenas o Estágio Supervisionado no Ensino Médio para obtenção do título de graduado; especialista no programa Journey of the Universe: A Story for Our Times (2017-2018) pela Yale University (YU); especializando no programa Fundamentals of Computer Network Security (2018) pela University of Colorado (UC); fundador da Organização Universo Racionalista (UR); colaborador do Instituto Ética, Racionalidade e Futuro da Humanidade (IERFH); membro-estudante da Rede Brasileira de Astrobiologia (RBA). Tem interesse nas áreas de Astronomia, Astrobiologia, Biologia Evolutiva, Física, Filosofia Científica, Ethical Hacking, História da Ciência, Microbiologia, Neurociência, Pentest, Psicobiologia, Segurança da Informação e Sociologia da Ciência. Abaixo, segue o endereço do currículo na plataforma Lattes.

Deixe um comentário

4 Comentários em "Dois experimentos lançam alguma luz sobre a misteriosa quarta dimensão"

Notify of
avatar
Sort by:   newest | oldest | most voted
Leandrw
Visitante

Li o abstract dos estudos mas como completo leigo na área, infelizmente não entendi nada.

Rubens Benevides
Visitante
Sabe, eu não entendo a analogia da sombra. Um objeto 1D pode ter sombras em 0D (um ponto, adimensional) ou em 1D (a sombra de uma linha). Um objeto 2D também pode ter sombras de duas dimensões: em 2D ou em 1D (se ficar de lado). Por outro lado, objetos em 3D somente podem ter sombras em 2D, jamais em 3D. O que dizer então de possíveis objetos em 4D? Vamos ver, se abstrairmos uma definição de sombra dos exemplos acima, não teremos como saber exatamente se as sombras desses objetos são em 3D, 4D, 2D ou mesmo se tem… Read more »
Rodrigo Martins
Visitante

Vou deixar aqui um link de um vídeo em que o Carl Sagan explica com detalhes essa analogia:

Douglas Rafael
Visitante

Pois eu sempre pensei na sombra como sendo 3D, pois ela não é apenas a parte delineada pela luz na superfície, mas preenche também, ainda que não seja visível, todo o espaço entre o objeto e a superfície incidida pela luz.