Hora do Rango! Estrela devorará dois planetas alienígenas

5
5386
Kepler-56, brilhando a 2.800 anos-luz da Terra, vai devorar dois de seus planetas daqui milhões de anos. Crédito imagem: NASA.

Artigo traduzido de: Space.com. Autor: Miriam Kramer.

Kepler-56 é uma estrela parecida com o sol, e está lentamente ficando maior, inflando em uma anã vermelha. Enquanto ela entra na sua fase anã vermelha, Kepler-56 vai devorar o planeta mais interno, chamado Kepler-56b, em cerca de 130 milhões de anos. Kepler-56c, o segundo exoplaneta na refeição da estrela, será devorado cerca de 25 milhões de anos depois.

“Isto é muito emocionante, porque esta é a primeira vez que observamos um sistema exoplanetário com dois de seus planetas condenados à morte”, Gongjie Li, do Centro Harvard-Smithsonian de Astrofísica (CfA), disse em uma coletiva de imprensa na 224ª reunião da American Astronomical Society. “Nós calculamos seu tempo de execução”.

Os cientistas acreditam que, eventualmente, o sistema solar da Terra vai ter o mesmo destino que o sistema Kepler-56. Em cerca de 5 bilhões anos, o Sol vai expandir em uma gigante vermelha, devorando Mercúrio e Vênus, uma vez que se aproxima do final de sua vida estelar.

Kepler-56c é parecido com Saturno, enquanto que o seu companheiro condenado é mais parecido com Netuno, disse Li. Kepler-56b completa uma órbita em sua estrela a cada 10,5 dias, e Kepler-56c faz uma órbita completa a cada 21,4 dias, disseram os pesquisadores CfA. Tanto Kepler-56c e Kepler-56b orbitam sua estrela mais perto do que Mercúrio orbita o Sol.

Uma vez que os dois planetas forem devorados, apenas um conhecido planeta ficará em órbita de Kepler-56. Kepler-56d, um gigante gasoso que orbita sua estrela a uma distância relativamente segura, será poupado quando a estrela expandir em uma gigante vermelha, disse Li.

Se os cientistas observarem a morte dos dois planetas, eles podem ser capazes de ver os mundos se transformarem em corpos planetários deixados para trás pela estrela gigante vermelha, Li disse. “Possivelmente, o invúlucro [de gás] destes gigantes serão queimados”, disse Li. “Então, possivelmente, o núcleo dos planetas será deixado para trás, aí veríamos este cadáver flutuando no universo”. É possível que os cientistas já tenham encontrado corpos que orbitam outras estrelas que já passaram a fase de gigante, acrescentou.

O sistema Kepler-56 é um pouco fora de sintonia em geral. É o primeiro sistema multiplanetário conhecido que está inclinado – os cientistas descobriram que as órbitas dos dois planetas interiores estão inclinadas a partir do equador da estrela. Os investigadores pensam que os planetas se formam geralmente a partir de um disco que se estende para fora do equador de uma estrela; no entanto, a natureza distorcida de Kepler-56b e Kepler-56c significa que eles são ambos fora de alinhamento com o equador da estrela. Os astrônomos ainda estão tentando entender como os dois planetas ficaram da maneira como eles são hoje.

CONTINUAR LENDO