Mais de 200 ovos fósseis revelam como os pterossauros se desenvolveram

Créditos: Wang et al. / Science.

Publicado na Sinc

Até agora, um punhado de ovos – três encontrados na Argentina e cinco na China – com um embrião encontrado dentro de um deles, trouxe algumas informações sobre os pterossauros, os primeiros vertebrados que conquistaram o ar, há cerca de 220 milhões de anos.

Esses fósseis estão agora anexados a uma coleção de 215 ovos da espécie Hamipterus tianshanensis descobertos em uma fossilífera da China, de acordo com um novo estudo, publicado na Science. A descoberta, que permitiu a identificação de 16 ovos com restos embrionários graças à tomografia computadorizada, mostra como esses animais, que conviveram com os dinossauros, cresceram.

As reconstruções em 3D indicam que o embrião mais completo tinha uma asa parcial e ossos cranianos, bem como uma mandíbula inferior completa. As coxas que permaneceram intactas sugerem que estavam bem desenvolvidas, o que revela que a espécie tinha começado a usar as patas traseiras logo após a eclosão.

No entanto, os recém-nascidos provavelmente não podiam voar, porque seu músculo peitoral estava subdesenvolvido durante o estágio embrionário. Para os pesquisadores, liderados pela Academia de Ciência da China, isso sugere que a prole precisava de cuidados parentais por um longo período de tempo. Na verdade, de acordo com as marcas de crescimento analisadas, um dos fósseis representa um espécime de dois anos que crescia no momento de sua morte.

CONTINUAR LENDO