Menstruação: como acontece?

0
235
Crédito: Getty Images.

Um assunto bastante comentado na sociedade – especialmente, quando atrasa – é a menstruação. Esse processo está presente na fisiologia normal das mulheres e acontece normalmente em todas elas, a não ser na presença de fecundação ou de patologias específicas.

Para entender o ciclo menstrual, precisamos estabelecer uma série de conceitos, como saber que o ciclo normal dura de 24 a 38 dias, ou seja, tem a média dos populares 28 dias. Tal período é dividido em duas fases: proliferativa e lútea. Enquanto a primeira é variável, a segunda é fixa, tendo sempre 14 dias, portanto, o intervalo citado decorre em função da fase proliferativa. A divisão entre as fases ocorre pela ovulação. Antes dela, a fase é a proliferativa, depois, lútea. Caso a mulher tenha seu óvulo fecundado por um espermatozoide, a fase lútea não existirá, então, não haverá menstruação.

Outras concepções que devemos ter em mente são sobre as estruturas anatômicas que participam do ciclo: útero, hipófise e ovário. O útero é um órgão que contém uma cavidade revestida uma camada de células chamada de endométrio. Quando esse órgão se prepara para uma nova gravidez, o endométrio fica mais grosso, para receber o zigoto, fruto da fecundação do óvulo pelo espermatozoide.

A hipófise, por sua vez, secreta hormônios chamados de LH e FSH, que agem no ovário (a última estrutura), onde existirão estruturas chamadas de folículos. Esses folículos não são maduros no início da menstruação, eles estão inativos, porém, à medida que recebem estímulos, aumentam de tamanho. Com o aumento, começam a produzir o estrógeno – responsável por engrossar o endométrio – e a formar o óvulo, sendo o mesmo liberado no final da fase proliferativa, momento no qual ocorre um pico no hormônio LH.

Após a liberação do óvulo, o restante do folículo transforma-se no corpo lúteo. Esse é o motivo pelo qual chamamos a segunda fase de lútea. O corpo lúteo começa a produzir os hormônios estrógeno e progesterona, que, agindo em conjunto, preparam o endométrio (que, antes, por ação do estrógeno, estava apenas engrossado) para receber o embrião. É nesse momento que ocorrem as alterações típicas da pré-menstruação, como seios doloridos, retenção hídrica, tensão pré-menstrual, entre outras. Os sintomas são semelhantes aos que ocorrem na gravidez, justamente por conta da ação da progesterona, que é o hormônio predominante durante a gestação.

Se o óvulo não for fecundado, o corpo lúteo, que está produzindo a progesterona e o estrógeno, começa a se degenerar. Dessa forma, o endométrio para de receber o estímulo desses hormônios e, idem, inicia sua degeneração. A menstruação é apenas o resultado da descamação da parte do endométrio que foi toda produzida durante o ciclo menstrual. A parte interna do útero é “lavada” e, então, começa a se preparar para o próximo ciclo, rumo a uma outra tentativa de fecundação.

Se você quiser saber mais sobre como acontece a menstruação, assista ao vídeo: