Missão Kepler da NASA descobre um planeta maior e mais velho que a Terra

Impressão artística compara a Terra (esquerda) com o novo planeta, chamado de Kepler-452b, que é cerca de 60 por cento maior em diâmetro.Créditos: NASA/JPL-Caltech/T. Pyle.

Por Michele Johnson
Publicado na NASA

A Missão Kepler da NASA confirmou o primeiro planeta com tamanho semelhante à Terra, em “zona habitável” em torno de uma estrela parecida com o Sol. Esta descoberta e a introdução de outros 11 novos planetas pequenos candidatos à zona habitável marcam uma nova jornada para encontrar uma outra “Terra”.

O recém-descoberto Kepler-452b é o menor planeta até hoje descoberto em órbita na zona habitável – a área em torno de uma estrela onde a água líquida poderia fluir na superfície de um planeta em órbita – de uma estrela do tipo G2, como o nosso Sol. A descoberta de Kepler-452b confirma que o número total de planetas descobertos são 1030.

Kepler-452b é 60 por cento maior em diâmetro que a Terra e é considerado uma super-Terra. Embora sua massa e composição ainda sejam desconhecidas, as pesquisas anteriores sugerem que os planetas do tamanho da Kepler-452b tem uma boa chance de ser rochoso.

Kepler-452b é maior que a Terra, sua órbita de 385 dias leva apenas 5 por cento a mais de tempo. O planeta é de 5 por cento mais longe de sua estrela-mãe Kepler-452 do que a Terra está do Sol. Kepler-452 tem 6 bilhões de anos, 1,5 bilhões de anos mais velho do que o nosso Sol, tem a mesma temperatura, e é 20 por cento mais brilhante e tem um diâmetro 10 por cento maior.

Para ajudar a confirmar os resultados e determinar melhor as propriedades do sistema Kepler-452, foram realizadas observações terrestres pela equipe da Universidade do Texas em McDonald Observatory, em Austin, no Observatório Fred Lawrence Whipple em Mt. Hopkins, Arizona, e do Observatório W. M. Keck no topo de Mauna Kea, no Havaí. Estas medidas foram a chave para os pesquisadores confirmarem a natureza planetária de Kepler-452b para refinar o tamanho e o brilho de sua estrela-mãe.

O sistema Kepler-452 está localizado a 1400 anos-luz de distância da Terra, na constelação de Cygnus. O paper da pesquisa foi aceito para publicação no The Astronomical Journal.

CONTINUAR LENDO
Artigo anteriorO motor de dobra espacial é real?
Próximo artigoÉ o nosso Universo natural?
Douglas Rodrigues Aguiar de Oliveira
Fundador do projeto de divulgação científica e filosófica Universo Racionalista. Pós-graduação lato sensu em Ethical Hacking e Cybersecurity do Centro de Inovação VincIT (UNICIV) pela Faculdade Eficaz. Pós-graduação lato sensu em andamento em Data Science pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Especialização em Epidemiology in Public Health Practice pela Johns Hopkins University (Coursera Specialization). Especialização em Fundamentals of Computing Network Security pela University of Colorado System (Coursera Specialization). Especialização em Journey of the Universe: A Story for Our Times pela Yale University (Coursera Specialization). Especialização em andamento em Computational Social Science pela University of California, Davis (Coursera Specialization). Graduação em Tecnologia em Redes de Computadores pela Universidade de Franca (UNIFRAN). Graduação em andamento em Tecnologia em Radiologia pela Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Editor-chefe do Instituto Ética, Racionalidade e Futuro da Humanidade. Colaborador da revista cética argentina Pensar, uma publicação da organização internacional Center for Inquiry. Endereço do Currículo Lattes e do Catarse (Doações).