Missões CubeSat da NASA abrirão caminho para o voo espacial tripulado

0
1147
NASA.

Artigo traduzido de New Scientist. Autor: Aviva Rutkin.

As mini missões estão em movimento. Esta semana, a NASA revelou 13 CubeSats selecionados para pegar carona na nave espacial Orion em 2018.

CubeSats são satélites do tamanho de uma caixa de sapatos que usam peças de baixo custo, tornando-os populares entre os estudantes e as agências espaciais. Seu pequeno tamanho e design flexível significa que eles são uma forma atraente da NASA recolher mais informações para futuras missões espaciais tripuladas.

“Eles costumavam ser apenas um sonho”, disse Dava Newman, administradora adjunta da NASA, numa conferência de imprensa em 2 de fevereiro. “Eles são eficientes. Eles são rentável. Eles realmente nos mostram como fazer a exploração do espaço de uma maneira nova”.

Preenchendo os espaços em branco

Os CubeSats selecionados irão pegar carona no primeiro lançamento conjunto da cápsula Orion, que foi projetada para transportar seres humanos em missões espaciais de longa duração e o foguete  Space Launch System.

Um será equipado com uma vela solar e enviado em uma missão de reconhecimento a um asteroide próximo que tem cerca de 100 metros de diâmetro. A câmera irá fotografar cerca de 85% da superfície do asteroide, enquanto outros instrumentos irão recolher dados sobre suas características estruturais, o quão rápido ele está girando e se é ou não cercado por poeira.

Asteroide pequeno, satélite pequeno. NASA.
Asteroide pequeno, satélite pequeno. NASA.

Essas informações podem ajudar a preencher os espaços em branco para futuras viagens tripuladas a um asteroide, disse Jitendra Joshi na sede da NASA. “Todas essas coisas vão nos ajudar a projetar futuras naves espaciais tripuladas que vai nos permitir uma missão segura”, diz ele.

Pensando fora da caixa

Outro CubeSat irá funcionar como um “biosentinela”, enviado em uma missão de 18 meses no espaço profundo. Seu trabalho será o de avaliar o risco de saúde para os astronautas vindos de partículas solares ou raios cósmicos galáticos, medindo o que acontece com um passageiro biológico real: levedura geneticamente modificada. Um sensor miniaturizado também irá gravar o tipo e a quantidade de radiação que o sentinela encontrar.

Vários outros CubeSats serão encarregados do levantamento da órbita lunar em busca de elementos voláteis e diferentes formas de água, que podem ser úteis para futuros astronautas necessitados de recursos extras.

A Nasa pretende solicitar equipes adicionais para construir e entregar CubeSats através do seu desafio Cube Quest de US$ 5 milhões. A agência também está negociando com vários grupos internacionais sobre levar suas criações na Orion.

Um teste de foguete para a missão Orion está previsto para maio deste ano.

CONTINUAR LENDO