Neurocientistas inibem contrações musculares através do brilho da luz

2
3221
Créditos: Jose-Luis Olivares/MIT

Em um estudo recém-publicado, neurocientistas do MIT mostraram que podem controlar os movimentos musculares a partir da incidência de luz sobre a medula espinhal de ratos.

É a primeira vez que isso acontece aplicando a optogenética – uma técnica que permite cientistas a controlar impulsos elétricos com raios de luz – em animais que estão acordados e alertas.

Liderados pelo professor do MIT Emilio Bizzi, os pesquisadores estudaram ratos em que uma proteína fotossensível que promove atividade neural foi inserida dentro de um dos subconjuntos de neurônios de suas medulas espinais. Quando os pesquisadores incidiram luz azul nelas, as patas traseiras dos animais ficaram completamente imobilizadas. As descobertas, descritas em um artigo publicado em 25 de Junho na PLoS One, oferecem uma nova abordagem de estudo dos circuitos espinais complexos que coordenam o movimento e o processamento sensorial, os pesquisadores dizem.

No estudo, Bizzi e Vittori Caggiano, PhD no MIT’s McGovern Institute forBrain Research, usaram a optogenética para explorar a função de interneurônios inibitórios, que formam circuitos com mais outros neurônios na medula espinal. Esses circuitos executam os comandos do cérebro.

Anteriormente, os cientistas já haviam utilizado o estímulo elétrico ou a intervenção farmacológica para controlar a atividade dos neurônios e tentar trazer à tona a sua função. Essas abordagens revelaram uma grande quantidade de informações sobre o controle da medula espinal, mas elas não ofereceram nenhum dado suficientemente preciso para estudar os subconjuntos específicos dos neurônios.

A optogenética, por outro lado, permite que cientistas controlem tipos específicos de neurônios pela programação genética, induzindo-os a produzir proteínas fotossensíveis. Essas proteínas, chamadas de opsinas, agem como canais iônicos e bombas que regulam a atividade elétrica dos neurônios. Algumas opsinas podem suprimir a atividade quando são expostas à luz, enquanto outras apenas a simulam.

“Com a optogenética, você está ‘atacando’ um sistema de células que certamente têm características similares umas às outras. É uma grande mudança relacionada à nossa habilidade de entender como os sistemas funcionam”, diz Bizzi.


 

Postado no site www.scitechdaily.com  com título Neuroscientists Inhibit Muscle Contractions by Shining Light on Spinal Cord Neurons

 

 

CONTINUAR LENDO
Artigo anteriorO Paradoxo de Fermi
Próximo artigoImagens em raios-X de moléculas reagindo são mostradas pela primeira vez
Josikwylkson Costa Brito
Olá, meu nome é Josikwylkson Costa Brito (não, meu pai não deu uma cabeçada no teclado), mais conhecido como o Príncipe do Cosmos Nordestino, e nasci na cidade de Campina Grande, na Paraíba, onde moro atualmente. Tenho 18 anos atualmente, estou no segundo ano do curso de medicina e publico textos de cunho científico ou filosófico para o presente site, porém, em virtude dos estudos, não estou a fazê-lo com muita frequência. De todas as minhas publicações, gosto de publicar no âmbito de minha área (saúde), mas também arrisco em postar textos que contradigam o senso comum e que criticam as pseudociências, o que me faz ser esquartejado por muitos irracionalistas (que, inclusive, andam vagando por essa página). As críticas que mais recebo desses senhores são as de que não tenho autoridade o suficiente para falar de determinado assunto (mesmo que eu poste artigos científicos advindos de sites e/ou universidades de confiança). Então, em razão dos 'amigáveis' seguidores que se travestem de conhecedores de argumentação lógica e que rejeitam qualquer postagem minha por tal status, por favor, finjam que eu sou uma pessoa com 40 anos doutor em filosofia, cosmologia, biologia e medicina.