Primeiros resultados de experimento de renda básica da Califórnia mostram aumento de empregos

0
342
Acampamento de moradores de rua estabelecido em Stockton, Califórnia, em fevereiro de 2020. Créditos: Nick Otto / Getty Images.

Por Aria Bendix
Publicado no Business Insider

Michael Tubbs não via muito risco em dar dinheiro aos residentes mais pobres de sua cidade, sem distinções. O ex-prefeito de Stockton, uma cidade no Vale Central da Califórnia, é um forte defensor da renda básica universal, uma política que essencialmente paga as pessoas por estarem vivas como uma forma de diminuir a pobreza.

“Minha crença nisso veio de ser criado por três mulheres incríveis, incluindo minha mãe solteira”, disse Tubbs à Insider.

“O problema não era que elas não conseguiam administrar o dinheiro. O problema era que elas nunca tinham dinheiro suficiente para administrar”.

Como prefeito, Tubbs liderou a Stockton Economic Empowerment Demonstration (SEED), um programa piloto que deu a 125 residentes cartões de débito com US$ 500 por mês. O programa foi lançado em fevereiro de 2019 e encerrado em janeiro.

Seus críticos argumentaram que os pagamentos em dinheiro reduziriam o incentivo para as pessoas encontrarem empregos. Mas o programa SEED atingiu sua meta de melhorar a qualidade de vida de 125 residentes que lutam para sobreviver.

Para se qualificar para o programa piloto, os residentes precisavam morar em um bairro onde a renda familiar média fosse igual ou inferior à da cidade, cerca de US$ 46.000.

Um novo relatório de uma equipe de pesquisadores independentes descobriu que o programa de Stockton reduziu o desemprego entre os participantes durante seu primeiro ano e ajudou muitos deles a saldar dívidas.

O relatório estudou os efeitos dos pagamentos de fevereiro de 2019 a fevereiro de 2020. Os participantes do SEED também relataram melhorias em seu bem-estar emocional e diminuição na ansiedade ou depressão.

“Isso realmente teve um grande impacto na minha qualidade de vida e de ser capaz de fazer coisas normais que muitas pessoas fazem com garantia”, disse um participante no relatório, “seja sair para comer uma vez a cada duas semanas e sentar para jantar em um restaurante, ou quando foi o aniversário da minha mãe e eu pude dar a ela um presente de aniversário”.

Tubbs disse que era provável que os pagamentos mensais de US$ 500 ajudassem de outras maneiras durante a pandemia, como ajudar as pessoas até a chegada de seus auxílios emergenciais ou permitir que elas tirassem dias de folga do trabalho se contraíssem COVID-19.

“Nós sabemos que os US$ 500 permitiram que alguns membros do programa ficassem em casa e não trabalhassem mesmo se não tivessem folgas pagas”, disse Tubbs.

“Eles conseguiram seguir as orientações de saúde da pandemia porque sabiam que as duas semanas de folga do trabalho não seriam catastróficas”.

A maior parte do dinheiro foi para alimentos e mercadorias

Os participantes do programa de renda básica de Stockton gastavam a maior parte de seus pagamentos em itens essenciais.

Quase 37% dos pagamentos dos beneficiários foram para comida, enquanto 22% foram para promoções e mercadorias, como idas ao Walmart ou lojas de 1,99. Outros 11 por cento foram gastos com serviços públicos e 10 por cento foram gastos com custos de veículos. Menos de 1 por cento do dinheiro foi para álcool ou tabaco.

Em fevereiro de 2020, mais da metade dos participantes disse que tinha dinheiro suficiente para cobrir uma despesa imprevista, em comparação com 25 por cento dos participantes no início do programa. A parcela de participantes que estava pagando suas dívidas aumentou de 52% para 62% durante o primeiro ano do programa.

O desemprego entre os beneficiários da renda básica caiu de 12% em fevereiro de 2019 para 8 por cento em fevereiro de 2020. No grupo de controle do experimento – aqueles que não recebiam pagamentos mensais – o desemprego subiu de 14 por cento para 15 por cento.

O emprego em tempo integral entre os beneficiários da renda básica aumentou de 28% para 40% durante o primeiro ano do programa. No grupo de controle, o emprego em tempo integral também aumentou, embora de forma menos dramática: de 32% para 37%.

“Tudo o que pensei que aconteceria e disse que aconteceria – argumentei com Sarah Palin e Chuck Woolery e conversei com ‘CBS This Morning’ e Bill Maher – realmente aconteceu”, disse Tubbs.

“Lembro-me de dizer às pessoas: ‘Acho que US$ 500 permitirá que as pessoas trabalhem mais se assim decidirem’. E ver isso nos dados, me deixa muito orgulhoso”.

Os pesquisadores também descobriram que a diminuição da ansiedade, depressão e estresse financeiro extremo encorajou os participantes a estabelecer metas e os ajudou a lidar melhor com contratempos financeiros imprevistos.

“Tinha ataques de pânico e ansiedade”, disse um participante no relatório. “Eu estava no ponto em que tive que tomar um comprimido para isso, e eu nem mesmo os tocava há algum tempo”.

A renda básica enfrenta uma batalha política difícil

Tubbs perdeu sua candidatura à reeleição em novembro, mas sua saída não afetou o programa SEED, uma vez que sempre foi projetado para ser temporário.

A visão de Tubbs é fazer da renda básica uma política nacional. Em junho, ele lançou Mayors for a Guaranteed Income (Prefeitos por uma Renda Garantida), uma coalizão de prefeitos interessados ​​em iniciar projetos pilotos de renda básica semelhantes nos Estados Unidos.

Pelo menos 40 prefeitos, incluindo Eric Garcetti de Los Angeles, Keisha Lance Bottoms de Atlanta e Jenny Durkan de Seattle, se juntaram ao grupo. O CEO do Twitter, Jack Dorsey, doou US$ 18 milhões para a causa.

Inspirado pelo experimento de Stockton, a cidade de Saint Paul, Minnesota, iniciou um programa piloto de renda básica no outono, dando US$ 500 por mês para 150 famílias de baixa renda por até 18 meses.

Richmond, Virgínia, está distribuindo US$ 500 por mês para 18 famílias da classe trabalhadora. E Compton, Califórnia, está dando a 800 residentes uma renda garantida de US$ 300 a US$ 600 por mês durante dois anos.

Nenhum prefeito republicano se juntou a coalização – e o interesse por uma política de renda básica é fortemente democrata. Andrew Yang, um candidato presidencial democrata de 2020, fez da renda básica uma parte importante de sua plataforma de campanha, prometendo pagar US$ 1.000 por mês para cada cidadão estadunidense com mais de 18 anos.

Tubbs disse que há pesquisas mais do que suficientes para sugerir que uma política federal de renda básica melhoraria a qualidade de vida dos estadunidenses.

“Estou muito orgulhoso de todos os programas pilotos, mas estou pronto para a política”, disse Tubbs. “Eu tenho todas as evidências do que preciso”.