Que tal pagar para um robô escrever algo com a sua caligrafia?

Crédito da Imagem: New Scientist.

Por Aviva Rutkin
Publicado na New Scientist

Pode ser bom receber cartas escritas à mão, mas convenhamos que é uma tarefa um pouco cansativa para elaborá-la. Há todo um procedimento consideravelmente cansativo que consiste na busca por um carimbo, na viagem até a caixa de correio e, principalmente, a dor para escrever com os dedos que são atualmente mais usados ​​para enviar mensagens de texto.

Insira um punhado de startups que o robô fará a tarefa para você. Por uma taxa aparentemente baixa, a máquina fará a ordinária tarefa de escrever uma mensagem a partir de uma simples caneta – enviado através de um aplicativo – em uma falsa mão humana que pode variar no tamanho e formato de sua caligrafia, tudo isso para adicionar um certo caráter realista.

Os robôs caligráficos fazem parte de uma atualização de alta tecnologia para as máquinas autopen que recriam várias assinaturas em diplomas ou cartas de políticos. O novo software permite que o robô imite as diferentes características de escrita de cada pessoa. Embora os bots não escrevam tão rápido quanto uma pessoa real, eles podem trabalhar por longas horas sem ficar cansado e sem cometer qualquer erro de ortográfico.

Os clientes podem escolher a partir de um número de fontes pré-definidas. Ou por apenas 199 dólares, o robô poderá imitar a própria caligrafia do cliente, e por 499 dólares eles irão te convidar para trabalhar juntamente com especialistas em caligrafia. Bond também oferece opções com base na caligrafia de pessoas famosas.

Você também pode usar os serviços para enviar cartões de agradecimento, cumprimentos de feriado e cartões de aniversário. Os robôs podem ser uma maneira prática para as empresas se comunicarem com os clientes. Segundo algumas pesquisas em marketing, as pessoas são mais propensas a abrir cartas manuscritas. MailLift em Austin, Texas, e Handiemail em Chicago já contratam seres humanos para realizar esta tarefa.

CONTINUAR LENDO
Artigo anteriorPor que o Hubble captura vistas detalhadas de galáxias distantes, mas não de Plutão?
Próximo artigoO medo estúpido da inteligência artificial
Douglas Rodrigues Aguiar de Oliveira
Sou fundador do Universo Racionalista | Graduando em Tecnologia em Redes de Computadores pela Universidade de Franca | Pós-graduando em Ethical Hacking e Cybersecurity do Centro de Inovação VincIT (UNICIV) pela Faculdade Eficaz | Especializando em Cybersecurity pela Rochester Institute of Technology (edX MicroMasters Programs) | Especialização em Fundamentals of Computing Network Security pela University of Colorado System (Coursera Specialization) | Especialização em Journey of the Universe: A Story for Our Times pela Yale University (Coursera Specialization) | Graduação interrompida em Licenciatura em Filosofia pela Universidade de Franca | Colaborador do Instituto Ética, Racionalidade e Futuro da Humanidade | Colunista da Climatologia Geográfica | Membro da Rede Brasileira de Astrobiologia | Membro do Science Vlogs Brasil | Interesse em Divulgação Científica das ciências fáticas em geral | Interesse em Filosofia da Ciência no problema da demarcação entre Ciência e Pseudociência e da justificação entre Realismo e Antirrealismo | Estudando também o problema entre Tecnologia e Pseudotecnologia na Filosofia da Tecnologia | Interesse em Segurança Defensiva e Segurança Ofensiva em sites, servidores e redes de computadores | Endereço do Currículo Lattes e do LinkedIn.