Útero artificial permite desenvolvimento de cordeiro

0
1702

Publicado na Science

A embriologia é um campo da ciência para o qual, ultimamente, têm se focado grandes esforços por parte de pesquisadores, tendo em vista que se demonstra promissor. Isso é bastante evidenciado pela questão da geração de bebês por inseminação artificial, pela edição de genes em embriões e, mais recentemente, pela produção de uma “bolsa” com mecanismos semelhantes a um útero que permitiu o desenvolvimento fetal de filhotes de cordeiro.

Tais filhotes foram gerados no útero propriamente dito, mas se induziu o nascimento pré-maturo. Então, os animais foram colocados dentro do aparato para que se pudesse observar se o seu desenvolvimento poderia ser concluído. O aparelho continha um sistema de circulação de gases (para que houvesse a respiração da cobaia), um fluido de eletrólitos (que simulava o líquido amniótico) e uma bolsa (que o protegia do meio externo).

O objetivo do trabalho não era produzir definitivamente um equipamento que ajudasse bebês pré-maturos, mas observar se ele seria capaz de sustentar um ser vivo por algum tempo. O resultado foi satisfatório, com um animal tendo sobrevivido por 108 horas, muito embora tenha sofrido complicações, assim como as outras cobaias, o que faz pensar que o aparelho ainda não é bom o bastante.

Tal trabalho tem uma prospectiva extremamente boa, de maneira a abrir os olhos dos profissionais de saúde quanto a um futuro em que, talvez, um ser humano que nasça prematuramente não precise mais ser submetido a procedimentos invasivos e incômodos para que sobreviva; basta que ele seja inserido em uma máquina.

CONTINUAR LENDO
Artigo anteriorEsse site desmente 194 argumentos dos “céticos da mudança climática” em 3 níveis diferentes
Próximo artigoUm experimento quântico de 600 anos nas estrelas
Josikwylkson Costa Brito
Olá, meu nome é Josikwylkson Costa Brito (não, meu pai não deu uma cabeçada no teclado), mais conhecido como o Príncipe do Cosmos Nordestino, e nasci na cidade de Campina Grande, na Paraíba, onde moro atualmente. Tenho 18 anos atualmente, estou no segundo ano do curso de medicina e publico textos de cunho científico ou filosófico para o presente site, porém, em virtude dos estudos, não estou a fazê-lo com muita frequência. De todas as minhas publicações, gosto de publicar no âmbito de minha área (saúde), mas também arrisco em postar textos que contradigam o senso comum e que criticam as pseudociências, o que me faz ser esquartejado por muitos irracionalistas (que, inclusive, andam vagando por essa página). As críticas que mais recebo desses senhores são as de que não tenho autoridade o suficiente para falar de determinado assunto (mesmo que eu poste artigos científicos advindos de sites e/ou universidades de confiança). Então, em razão dos 'amigáveis' seguidores que se travestem de conhecedores de argumentação lógica e que rejeitam qualquer postagem minha por tal status, por favor, finjam que eu sou uma pessoa com 40 anos doutor em filosofia, cosmologia, biologia e medicina.