Útero artificial permite desenvolvimento de cordeiro

0
1896

Publicado na Science

A embriologia é um campo da ciência para o qual, ultimamente, têm se focado grandes esforços por parte de pesquisadores, tendo em vista que se demonstra promissor. Isso é bastante evidenciado pela questão da geração de bebês por inseminação artificial, pela edição de genes em embriões e, mais recentemente, pela produção de uma “bolsa” com mecanismos semelhantes a um útero que permitiu o desenvolvimento fetal de filhotes de cordeiro.

Tais filhotes foram gerados no útero propriamente dito, mas se induziu o nascimento pré-maturo. Então, os animais foram colocados dentro do aparato para que se pudesse observar se o seu desenvolvimento poderia ser concluído. O aparelho continha um sistema de circulação de gases (para que houvesse a respiração da cobaia), um fluido de eletrólitos (que simulava o líquido amniótico) e uma bolsa (que o protegia do meio externo).

O objetivo do trabalho não era produzir definitivamente um equipamento que ajudasse bebês pré-maturos, mas observar se ele seria capaz de sustentar um ser vivo por algum tempo. O resultado foi satisfatório, com um animal tendo sobrevivido por 108 horas, muito embora tenha sofrido complicações, assim como as outras cobaias, o que faz pensar que o aparelho ainda não é bom o bastante.

Tal trabalho tem uma prospectiva extremamente boa, de maneira a abrir os olhos dos profissionais de saúde quanto a um futuro em que, talvez, um ser humano que nasça prematuramente não precise mais ser submetido a procedimentos invasivos e incômodos para que sobreviva; basta que ele seja inserido em uma máquina.

CONTINUAR LENDO