Vídeo mostra cientistas removendo um jacaré de 1,5 m do estômago de uma píton

0
153
(Créditos: MesquitaFMS/iStock/Getty Images)

Traduzido por Julio Batista
Original de Kelsey Vlamis para o Business Insider

Um grupo de cientistas na Flórida, EUA, abriu uma píton-birmanesa para encontrar um jacaré intacto de 1,5 metro que havia sido engolido inteiro.

Rosie Moore, geocientista da Flórida, disse em uma postagem no Instagram de 1º de novembro que a píton morta com o estômago inchado foi entregue a um laboratório de pesquisa para necropsia, coleta de amostras científicas e investigação de sua dieta.

Ela compartilhou um vídeo em que o jacaré foi retirado do trato digestivo da píton de 5,5 m de comprimento.

“Na verdade, também achei muito nojento e estou acostumada a necropsias e coisas assim”, disse Moore à CNN, acrescentando que os cientistas estavam fazendo pausas para sair da sala apenas para fugir do cheiro.

O vídeo original, curiosamente sincronizado com a música “Hot” da artista Liili, mostra os cientistas manuseando o corpo inchado e irregular da cobra antes de cortar sua parte inferior para revelar a forma de um jacaré inteiro sob outra camada de tecido.

Os cientistas então abrem e deslizam o jacaré para fora em uma sequência quase semelhante a um nascimento.

A píton foi encontrada e morta por funcionários do Parque Nacional dos Everglades. As cobras invasoras correm soltas na Flórida, causando estragos no ecossistema e dizimando espécies nativas.

“Essas cobras invadiram com sucesso áreas ecologicamente sensíveis, como o Parque Nacional dos Everglades”, disse Moore em sua postagem.

“Isso representa uma ameaça para uma variedade de vida selvagem, devido às amplas preferências alimentares das pítons”.

“Elas estão comendo nossa vida selvagem nativa”, disse Mike Kirkland, biólogo de espécies invasoras que gerencia o programa de eliminação de pítons do Distrito de Gerenciamento de Água do Sul da Flórida, ao Insider.

“Elas também estão superando os animais nativos por comida.”

As pítons-birmanesas, que estão entre as maiores cobras do mundo, podem ter acabado na natureza como resultado de pessoas soltando seus animais de estimação quando ficaram muito grandes.

Mas graças à falta de predadores e a um clima subtropical que lembra suas terras nativas do Sudeste Asiático, as pítons prosperaram na Flórida.

O estado agora tem 100 caçadores de pítons licenciados que são pagos para capturar e matar as cobras.

As pítons têm uma dieta ampla e são conhecidas por comer pequenos mamíferos na Flórida, mas já foram documentadas banqueteando-se com animais tão grandes quanto veados-de-cauda-branca, bem como jacarés.

Pítons normalmente engolem sua comida inteira, com sua anatomia única permitindo que suas mandíbulas se expandam o suficiente para abocanhar objetos muito maiores do que a circunferência de seus próprios corpos.

Em raras ocasiões, pítons também foram documentadas engolindo humanos inteiros.

No mês passado, uma mulher de 54 anos desaparecida na Indonésia foi engolida inteira por uma píton, segundo a polícia.

Um cientista na Indonésia disse que a mulher provavelmente foi engolida por uma píton-reticulada, que pode crescer até mais de 6 metros de comprimento.