10 pseudociências que deveriam ser extintas para sempre

125
37783
Crédito da Imagem: Astro Matcha.

Introdução à Pseudociência

Publicado originalmente por Esther Inglis-Arkell¹
Traduzido por Josikwylkson Costa²

A pseudociência é como um pequeno filhote. Ela é engraçada, fofa e, na maioria das vezes, inofensiva. Porém, às vezes, ela cresce e se torna grande e agressiva, tendo, assim, que ser derrubada. Neste artigo, iremos falar sobre algumas dessas especulações pseudocientíficas que precisam ser derrubadas.

(Leia mais em [1], [2] e [3]).

10 – Frenologia

phrenological-chart

Quando eu estava pensando em fazer essa lista, veio à minha mente a grafologia – análise de manuscritos que supostamente revela características pessoais e é usada, ainda hoje, por algumas companhias para avaliar futuros empregados. Pensei em especialistas em linguagem corporal, que afirmam que movimentos físicos revelam algo sobre a psique de algum indivíduo. Pensei na tipologia, que analisa o formato do corpo e faz conclusões, a partir disso, sobre a personalidade. Mas isso tudo pode ser resumido em apenas uma: a frenologia. Essa foi a responsável pelo primeiro contato dos quiromantes com a ciência e, mesmo que a sua ideia tenha sido totalmente decapitada, ela ainda nos envia novas cabeças, como faz o monstro lendário hidra.

Você quer saber sobre a personalidade de alguém? Então conheça-a ou fale com pessoas que a conhece. Os manuscritos dela não irão te dizer nada, a menos que as letras sejam escritas com sangue. Se você acha que a postura de alguém indica as suas características pessoais, então lhe desejo uma cadeira desconfortável pelo resto da sua vida. O mesmo para quem decidir que o formato do corpo de uma pessoa é uma indicação de como ela é por dentro. Pessoal, nós fomos ensinados a saber mais do que isso no jardim de infância. Eu não tenho nenhuma dúvida de que sempre haverão porcarias flutuando por aí. Alguns charlatões sempre irão achar uma forma de relacionar características físicas às características morais. Então dê-lhes o tratamento da hidra. Decapite todas as cabeças e queime todos os corpos.

09 – Os alienígenas construíram o mundo antigo

Veja, eu sei que é bem mais fácil pensar que os alienígenas vieram à Terra há milhares de anos atrás do que acreditar que os habitantes antigos do Egito e das Américas do Sul e do Norte tiveram qualquer habilidade, inteligência ou dom artístico. Mas você ainda terá de preencher perguntas como: “Por que, de todas as coisas que os alienígenas poderiam fazer com o mundo, eles escolheram fazer um monte de pirâmides de pedra?”. Se você fosse até um mundo alienígena, você iria construir pirâmides ou iria preferir explorar o mundo em busca de materiais preciosos? (Ou, se você for mais benevolente, por que não ensinar aos nativos de lá como cultivar a penicilina?). E já que tocamos no assunto, por que os alienígenas desistiram, do nada, de seu interesse pela arquitetura? Se não fosse por isso, a apenas alguns milhares de anos, nós poderíamos estar nos aproveitando da ajuda deles para construir fazendas verticais ou super cidades, ou, eu não sei, naves espaciais. Mas eu agora entendi: nós que somos os inteligentes, os antigos não são.

(Leia mais em [4], [5], [6] e [7]).

08 – Farsas sobre vacinas e sobre o autismo

Créditos: CDC/Reuel Waldrop.
Créditos: CDC/Reuel Waldrop.

Isso sim é uma pseudociência horrível, um monstro sugador de almas. Apenas o fato de pensar o tempo, o dinheiro, o esforço, a investigação científica honesta e, é claro, as vidas que foram perdidas por essa teoria pseudocientífica já me cansam. Fazem-me querer inventar uma tecnologia de viagem ao tempo, voltar no passado, dar um monte de dinheiro para Andrew Wakefield e transformá-lo em um “artista conceitual”, um fotógrafo ou qualquer outra coisa. Dar-lhe-ia toda a atenção e todo o dinheiro que fosse preciso para que ele não causasse o dano que causou. Se custasse meio bilhão de dólares, ainda sim seria um bom negócio.

(Leia mais em [8]).

07 – Memória genética

Um pouco de sentimentalismo pelos seus ancestrais poderia ser bem agradável. É bastante interessante analisar a casa de uma família antiga ou conhecer a pátria. Mas as coisas começam a ficar um pouco mais complicadas quando pessoas tentam reivindicar os dons e os talentos de seus antepassados. O que funciona nas novelas não funciona na vida real. E é esse “conhecimento inato” que guia todos os tipos de bobagens pseudocientíficas. Nós não somos salmões. Nós não temos um instinto que nos leve de volta às nossas origens.

06 – Bebês gênios

Há duas maneiras possíveis de se ser um gênio: sorte extraordinária ou trabalho duro extraordinário. Ou você trabalha incrivelmente duro para treinar seu cérebro e, assim, fazer conexões que as outras pessoas não conseguem fazer, ou você nasce com um cérebro que demonstra um grande talento para certa coisa. Não há nenhum outro caminho para ser um gênio – e até mesmo esses dois caminhos geram dúvidas em especialistas. Porém, se você acha que quinze minutos de caça-palavras, uma série de vídeos ou tocar música clássica no útero de uma pobre mulher grávida vai fazer de seu filho um gênio, é melhor torcer para que ele nasça com uma imensa vontade de trabalhar, porque, caso contrário, ele será azarado do ficar ao seu lado.

05 – Detectores de mentira

Eu não estou dizendo que os detectores nunca funcionam. Só estou dizendo que eles não funcionam bem o bastante. Considere a conversa a seguir:

– Ela passou no teste do detector de mentiras.
– Sério? Achei que ela era culpada. Como provaremos a sua inocência?
– Eu acho que teremos de ir em frente e investigá-la da mesma forma que faríamos se ela não tivesse passado no teste.
– Então de quê serviu o detector?
– Esqueci

Muito triste, não? Mas não tanto quanto a conversa alternativa:

– Ela não passou no teste do detector de mentiras.
– Enforquem-na!

Viram o problema?

04 – Homeopatia

A homeopatia alega que a água pode curar você, porque em algum momento conteve remédios. Isso é como dizer que você pode comer em um prato vazio, porque algum dia houve comida ali. Cortem essa, pessoal!

(Leia mais em [9], [10] e [11]).

03 – Misticismo quântico

fe-e-ciencia2

A Mecânica Quântica vira a mesa do nosso senso de como o mundo funciona. Há limites para o que podemos saber, é o que ela parece dizer. Partículas (sem nenhuma ligação) podem se comunicar entre si mesmo estando distantes, é o que ela parece dizer. Uma partícula pode estar em dois lugares ao mesmo tempo, é o que ela parece dizer. Eu acrescentei “é o que ela parece dizer” ao final de todas as sentenças porque cientistas e leigos debatem ferozmente cada um desses pontos. Se você quiser um pouco de diversão que faça-lhe perder o seu tempo, veja os livros de mecânica quântica na Amazon, especialmente aqueles que possuem “a Interpretação de Copenhague” como subtítulo, e leia os comentários de cinco estrelas até os de uma estrela. Você achará muitas pessoas, especialistas e leigas, discutindo sobre o que o comportamento da mecânica quântica significa.

Eles estão lutando em busca do significado da física. Não estão afirmando que a sua mente, a sua essência interior, ou o seu animal de estimação morto têm as mesmas propriedades que um fóton (eu sei que Schrödinger fez isso, mas ele o fez com um tom irônico). Os seguidores da seita esotérica New Age têm o mal hábito de implicar que a mecânica quântica diz que as partículas que constituem o corpo humano e as demais partículas compartilham das mesmas propriedades. Mas não é assim que funciona. A mecânica quântica prova que podemos nos teletransportar tanto quanto ornitologia prova que podemos voar.

(Leia mais em [12]).

02 – Design inteligente

god-evolution-cartoon

Eu não estou aqui para discutir se o design inteligente é verdade, porque eu não acho que ele chegaria tão longe. Se a resposta definitiva para todas as perguntas que você puder fazer for “porque Deus quis assim”, você não está estudando nenhum tipo de evolução. Você está apenas fazendo um trabalho de acompanhamento psicológico baseado na ideia de Deus. Leia Jung ou leia a Bíblia e deixe as pessoas fazerem as suas pesquisas sobre a evolução sozinhas.

(Leia mais em [13], [14] e [15]).

01 – “Toxinas”

Eis uma definição científica para uma toxina: é uma substância venenosa produzida por células vivas específicas que, quando introduzidas em um novo corpo, provocam a liberação de anticorpos. Isso é uma toxina. Isso é o que ela faz, onde é feita e o que faz.

Eis a definição para uma “toxina”: é uma misteriosa e nefasta coisa que está em todas as coisas que eu não gosto. Não sei com o que ela realmente parece, ou se é um composto químico. Eu não sei exatamente como ela é produzida. Eu não sei precisamente qual o processo que ela desencadeia no organismo. Eu apenas sei que definitivamente – a palavra “definitivamente” faz com que a coisa seja mais horripilante -, de fato, ela deve estar presente em pessoas que fazem coisas que eu não gosto.

Nós temos de pisotear o conceito de “toxinas”. Temos de pisoteá-lo até que ele morra. Nós não iremos conseguir fazer com que as pessoas deixem de atirar ideias disparatadas sobre nós a qualquer momento que comamos qualquer coisa que não seja couve ou a qualquer lugar que vivamos que não seja o pico de uma montanha, mas com esforço, poderemos ao menos fazê-los soar ridículos ao dizerem isso. Eu acho que o novo termo para toxinas deveria ser “pó de fadas do mal”.

Bônus – Psicanálise

Publicado originalmente por André Luzardo³, Douglas Rodrigues⁴ e Glauber Frota⁵.

121130013052-sigmund-freud-horizontal-large-gallery
Na imagem, Sigmund Freud.

Deixamos a melhor para o final, é claro. A psicanálise merece, com certeza, estar no top 10 das pseudociências mais cultuadas nos últimos anos.

A psicanálise é uma teoria da mente que impede a realização de experimentos que possam ser falseados. Uma afirmação clássica e básica para o desenvolvimento de sua teoria psicopatológica da psicanálise é que todos os homens passam pelo “complexo de édipo”, uma fase do desenvolvimento em torno dos 3-6 anos de idade onde se manifestam desejos de possuir sexualmente a figura materna. Tentemos realizar uma prova que permita descobrir se esta hipótese é científica: um teste de conduta e tendência que elucide se o sujeito tem tais tendências. Se o teste falha, o psicanalista dirá que isto é assim porque as tendências estão reprimidas, e não saem à luz; se o teste resulta correto, o psicanalista o interpretará como uma comprovação de sua hipótese. Não há maneira de saber se a hipótese pode ser falsa e, portanto não é científica.

A psicanálise é e já foi responsável por causar danos a sociedade. Tais como o caso da “Síndrome da Memória Recuperada” nos Estados Unidos e a famosa “cura gay”, que é defendida por muitos psicanalistas do mundo afora. Inclusive Anna Freud, filha de Freud, fazia “terapias de conversão” em homossexuais supostamente “doentes”.

Os psicanalistas não fazem estudos sérios em psiquiatria ou em psicologia. Eles se dedicam a uma espécie de estudo literário de fantasias e fazem parte de uma cultura comercial, o que faz com que a psicanálise seja a mais bem sucedida pseudociência nos últimos anos.

A psicanálise também é problemática na filosofia da mente por ser imaterialista (mentalista), subjetivista e ignorar o estudo do cérebro e da mente material, tal como ocorre nas neurociências cognitivas. Um dos mais notáveis indicativos de que ela é uma pseudociência, é que ela está apegada à uma única pessoa e suas obras literárias. Tal como os criacionistas se baseiam única e exclusivamente na bíblia para tentar validar teorias do design, os psicanalistas se baseiam unicamente nas revelações escritas pelo guru Freud. A analogia com a religião não pára por aí: a psicanálise também está sujeita a inúmeras correntes, cada uma baseada exclusivamente em um outro guru (Lacan, Klein, Jung, Fromm, etc) e sua própria “interpretação” da obra de Freud.

“Se você se sentiu ofendido ao ler este texto, é porque, na verdade, você sofreu um abuso sexual na infância e, provavelmente você tem tendências homossexuais reprimidas”, dizem os psicanalistas.

(Leia mais em [16], [17], [18], [19], [20], [21], [22], [23] e [24]).


Artigo adapto do original, publicado por Esther Inglis-Arkell¹, na Io9, com o título, 10 Pseudo-Science Theories We’d Like to See Retired Forever, traduzido por Josikwylkson Costa². 18 de junho de 2014.

O tópico sobre a psicanálise foi escrito por André Luzardo³, Douglas Rodrigues⁴ e Glauber Frota⁵.


Referências Bibliográficas

Glauber Frota. Pseudociências. Universo Racionalista. 11 de março de 2013.

Rafael Rodrigues. Pseudociência: o que é que não pode ser considerado ciência? Universo Racionalista. 7 de março de 2014.

Douglas Rodrigues. Uma breve explicação sobre protociência e pseudociência. Universo Racionalista. 9 de março de 2014.

Douglas Rodrigues. Alienígenas do Passado Desmascarado. Universo Racionalista. 12 de abril de 2013.

Douglas Rodrigues.Cientistas descobrem como os egípcios moveram  pedras gigantes para formar as pirâmides. Universo Racionalista. 1 de maio de 2014.

Moshiach Shakhor.Estudo sugere que geóglifos do Peru foram criados para direcionar viajantes a centros comerciais. Universo Racionalista. 10 de maio de 2014.

Moshiach Shakhor. Descoberta em Stonehenge revoluciona antigas hipóteses sobre construtores do monumento. Universo Racionalista. 11 de maio de 2014.

Agência France-Presse. Estudo que vinculava autismo à vacina tríplice era “fraude elaborada”, diz revista britânica. Veja. 06 de janeiro de 2011.

Leon Monteiro Sampaio. Uma introdução à homeopatia. Universo Racionalista. 5 de maio de 2014.

Douglas Rodrigues. “Homeopatia não funciona”, diz estudo. Universo Racionalista. 10 de abril de 2014.

Marcelo Vargas. Uma defesa a Hahnemann, mas não à homeopatia. Universo Racionalista. 27 de maio de 2014.

Douglas Rodrigues, Guilherme Tomishiyo, Marcelo Vargas e Thiago M. Guimarães. Pseudociências: Picaretagem quântica. Universo Racionalista. 4 de maio de 2014.

Rafael Rodrigues. Por que o debate criacionismo x evolução não faz sentido. Universo Racionalista. 17 de março de 2014.

Adalberto Cesari, Douglas Rodrigues, Fabiano Menegidio, Fabio Machado, Henrique Pereira e Wellton Enishi. Evolução biológica: Fatos e enganos. Evolution Academy e Universo Racionalista. 24 de abril de 2014.

Victor Rossetti. Filosofia: Argumentos para o design inteligente tem fundamento filosófico? Net Nature. 1 de maio de 2014.

Ezequiel Del Bianco. El psicoanálisis, una pseudociencia escondida a la vista de todos. Alerta Pseudociencias. 6 de maio de 2010.

Catherine Meyer. O livro negro da psicanálise: Viver e pensar melhor sem Freud. 2011.

Michel Onfray. O Crepúsculo de um Ídolo, a Fábula Freudiana. 2010.

Carlos Santamaría y Ascensión Fumero. El psicoanálisis ¡vaya timo! Laetoli. 2008.

Mario Bunge. Las pseudociencias ¡vaya timo! Laetoli. 2011.

Karl Popper. Conjecturas e Refutações. 1963.

Reinaldo José Lopes. Freud não explica quase nada. Ceticismo. 2008.

André Luzardo. O atraso das Ciências Humanas no Brasil: Psicanálise. Sociedade Racionalista da Universidade de São Paulo. 17 de janeiro de 2011.

Douglas Rodrigues, Mário César, Milena Almeida, Ubirajara Rodrigues e Wilbert Viana. Pseudociências. Pod Pensar: Livres Pensadores. 2013.

CONTINUAR LENDO
Compartilhar
Artigo anteriorA muralha da Guerra dos Tronos é cientificamente possível?
Próximo artigoAnálise química de rocha lunar revela novas evidências da formação da Lua
Josikwylkson Costa Brito
Olá, meu nome é Josikwylkson Costa Brito (não, meu pai não deu uma cabeçada no teclado), mais conhecido como o Príncipe do Cosmos Nordestino, e nasci na cidade de Campina Grande, na Paraíba, onde moro atualmente. Tenho 18 anos atualmente, estou no segundo ano do curso de medicina e publico textos de cunho científico ou filosófico para o presente site, porém, em virtude dos estudos, não estou a fazê-lo com muita frequência. De todas as minhas publicações, gosto de publicar no âmbito de minha área (saúde), mas também arrisco em postar textos que contradigam o senso comum e que criticam as pseudociências, o que me faz ser esquartejado por muitos irracionalistas (que, inclusive, andam vagando por essa página). As críticas que mais recebo desses senhores são as de que não tenho autoridade o suficiente para falar de determinado assunto (mesmo que eu poste artigos científicos advindos de sites e/ou universidades de confiança). Então, em razão dos 'amigáveis' seguidores que se travestem de conhecedores de argumentação lógica e que rejeitam qualquer postagem minha por tal status, por favor, finjam que eu sou uma pessoa com 40 anos doutor em filosofia, cosmologia, biologia e medicina.

Deixe um comentário

125 Comentários em "10 pseudociências que deveriam ser extintas para sempre"

Notify of
avatar
Sort by:   newest | oldest | most voted
MarceloDC
Visitante

Seria interessante em vez de meramente “10 pseudociências que deveriam ser extintas…” procurar citar todas que puder(em) encontrar, sobretudo as mais perigosas, podendo estas serem conforme circunstâncias.
Ex. uma não citada Feng-Shui, aparentemente inofensiva. Mas pode ser perigosa quando influencia obras de Construção Civil (Arquitetura com “princípios de Feng-Shui”), p.ex.

Honorio
Visitante

Eu quase chequei a ler “o segredo”, depois num rompante de lucidez atirei o danado do livro bem longe!

Julio
Visitante

Não precisa extinguir, só colocar no lugar que pertence, o folclore.

H B
Visitante
Amigo Josikwylkson, tenho algumas ressalvas quanto ao seu texto. Primeiramente, o título nos remete a dez pseudociências distintas, certo? Errado. Quando abrimos seu texto, menos da metade dos 10 itens são, de fato, pseudociências. Nem toda picaretagem que tenta produzir verdade é uma pseudociência. Além disso, sua crítica é apressada, rasa. Por quê? De alguma forma você conseguiu juntar frenologia com grafologia e estudo da linguagem corporal (sic). Citar a frenologia é chutar cachorro morto: diferentemente da homeopatia, já foi enterrada. Foi uma ‘tentativa de ciência’ e é reconhecidamente ultrapassada. A grafologia ainda é continuada, como você explica. No entanto,… Read more »
juca
Visitante

Faltou numerologia, li esperando algum comentário sobre, só para mandar para um amigo meu que acredita nestas coisas

wpDiscuz