A aparência real de dois adolescentes que viveram há 30 mil anos

Créditos: Visual Science.

Por Carlos Zahumenszky
Publicado no Gizmodo

Os olhos desses dois jovens de aparência tão séria tiveram o prazer de ver mamutes ainda em vida. Não é uma afirmação muito exagerada considerando que ambos usavam peles adornadas com ossos de mamute quando morreram, há quase 30.000 anos, no que é hoje a Sibéria.

Sungir 2 e Sungir 3 (eles carregam o nome de sua tribo) são dois Homo sapiens de 12 e 13 anos, provavelmente irmãos. Ambos foram encontrados no sítio arqueológico de um antigo acampamento de caça nos anos 60. O impressionante estado de conservação da tumba, com restos de roupas e joias permitiu conhecer muitos detalhes sobre a vida dos Sungir, um dos primeiros povos europeus de hominídeos modernos.

O estado dos ossos também serviu para que os antropólogos e técnicos da Visual Science reconstruísse dois modelos 3D com a aparência que tinham essas duas pessoas.

Créditos: Visual Science.

Os crânios foram escaneados pelo laser e, em seguida, o tecido facial, a pele e feições foram reconstruídos seguindo dados étnicos e forenses dos corpos. O resultado é notável e lembra uma reconstrução semelhante que ocorreu em março deste ano com o corpo de um homem que viveu na Idade Média.

Neste vídeo da Visual Science, há um resumo do processo que concluiu com a reconstrução apresentada no festival científico Nauka 0+.

CONTINUAR LENDO