Baixo peso ao nascer tem relação com piora da função pulmonar em adolescentes

0
153
Créditos: Photodisc / Getty Images.

Estudos observacionais em fetos, analisando o peso ao nascer ou nascimento prematuro, mostraram relação clínica significante entre o peso ao nascer e riscos na saúde. Isso está associado a muitos aspectos da saúde do adulto. Dentre as variáveis fisiológicas mais estudadas para estimar o fator de risco, podemos incluir a função pulmonar. A função pulmonar está associada diretamente a doenças crônicas, incluindo doenças pulmonares e indiretamente relacionada a fatores de riscos cardiovasculares.

Nesse sentido, o estudo conduzido na University of Hong Kong, China, publicado na Scientific Reports, teve como objetivo examinar as relações entre peso ao nascer e prematuridade com a função pulmonar em pessoas com cerca de 17,5 anos.

A pesquisa utilizou uma coorte chinesa de representantes da população de Hong Kong, cobrindo 88% de todos os nascimentos entre 1 de abril e 31 de maio de 1997. Foram analisados o peso ao nascer e a função pulmonar dos jovens.

Todas as medidas da função pulmonar foram realizadas na posição ortostática (em pé) com a respiração normal em repouso antes de cada teste. A inspiração lenta e expiração rápida foram realizadas no máximo seis vezes por pelo menos três modos aceitáveis, de acordo com os critérios American Thoracic Society (ATS), e as curvas volume-volume com os dados foram registradas. Qualquer inspiração com uma curva que não se parecesse com o gráfico previsto pelos critérios da ATS foi considerada inaceitável e descartada. As curvas espirométricas com a soma máxima de capacidade vital funcional (CVF) e volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1) foram selecionadas.

Como principal resultado, foram observadas associações inversas de peso ao nascer e função pulmonar, indicando que quanto menor o peso ao nascer, pior a função pulmonar. Portanto, é sugerido que o baixo peso ao nascer tem repercussões negativas no sistema respiratório que podem persistir até na vida adulta.

Assim, esses resultados chamam a atenção para maior cuidado na atenção preventiva de pessoas nascidas com baixo peso.

Referência

CONTINUAR LENDO