Busca massiva revela que os cadernos de Darwin foram supostamente roubados

0
65
Créditos: Agence France-Presse / Universidade de Cambridge.

Publicado na ScienceAlert

Dois dos cadernos de Charles Darwin contendo suas ideias pioneiras sobre evolução e seu famoso esboço da “Árvore da Vida” foram provavelmente roubados, disse a Biblioteca da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, na terça-feira.

O cientista britânico preencheu seus cadernos de couro em 1837, após retornar de sua viagem no HMS Beagle. A biblioteca disse que eles valiam milhões de libras.

Em um livro, ele desenhou um diagrama mostrando várias possibilidades para a evolução de uma espécie e, posteriormente, publicou uma ilustração mais desenvolvida em seu livro de 1859, A Origem das Espécies.

A vasta biblioteca da Universidade de Cambridge listou pela primeira vez os cadernos como perdidos em 2001, depois que eles foram removidos das Casas-Fortes das Coleções Especiais para que fossem fotografados.

O icônico esboço da “Árvore da Vida” de Darwin. Créditos: Charles Darwin / Universidade de Cambridge.

Por muito tempo se acreditava que eles haviam sido arquivados incorretamente dentro do prédio, que contém cerca de 10 milhões de livros, mapas e manuscritos e tem um dos arquivos de Darwin mais importantes do mundo.

No entanto, uma grande pesquisa neste ano – a maior da história da biblioteca – não conseguiu encontrar os cadernos.

“Os curadores concluíram que os cadernos… foram provavelmente roubados”, disse a biblioteca em um comunicado.

A agência disse que informou a polícia local e que os livros foram listados no banco de dados de obras de arte roubadas da Interpol, chamado Psyche.

A bibliotecária da Universidade, Jessica Gardner, divulgou uma declaração em vídeo apelando ao público para ajudar.

“É profundamente lamentável para mim que esses cadernos continuem desaparecidos, apesar das inúmeras buscas em larga escala nos últimos 20 anos”, disse ela, acrescentando que a biblioteca desde então melhorou enormemente seus sistemas de segurança.

A bibliotecária sugeriu que ex-funcionários ou funcionários atuais da biblioteca, aqueles que trabalham no comércio de livros ou pesquisadores, possam ter informações.

“Eu pediria a qualquer pessoa que suspeite do paradeiro dos cadernos para entrar em contato. Por favor, ajude”, disse ela.

O apelo foi lançado no dia 24 de novembro, conhecido como Dia da Evolução, por marcar a data da publicação de A Origem das Espécies.

Crédito: Universidade de Cambridge.