Cientistas japoneses descobrem um novo hadrossauro

A reconstrução de Kamuysaurus japonicus. Crédito: Masato Hattori.

Pesquisadores japoneses descobriram uma espécie até então desconhecida de dinossauro hadrossauro do fim do período Cretáceo, de acordo com um artigo publicado na revista Scientific Reports. O fóssil, encontrado no Japão, enriquece a compreensão da diversidade dos hadrossauros no Extremo Oriente e da evolução dos hadrossauros durante o fim do período Cretáceo (entre 100 e 66 milhões de anos atrás).

Os hadrossauros estão no grupo de maior sucesso dos dinossauros do Cretáceo, e seus fósseis foram encontrados na América do Norte, América do Sul, Ásia, Europa e Antártica.

Yoshitsugu Kobayashi e seus colegas da Universidade Yoshitsugu Kobayashi Hokkaido, em Sapporo (Japão), descobriram o novo hadrossauro, que eles chamaram de Kamuysaurus japonicus em depósitos marinhos da Formação Hakobuchi em Hokkaido. Sua descoberta em um ambiente com influência marinha é rara para os hadrossauros e contribui para a compreensão da diversidade dos hadrossauros nesses ambientes, sugerem os autores.

Com cerca de oito metros de comprimento, o espécime de 72 milhões de anos é um hadrossauro de tamanho médio e totalmente desenvolvido. Os autores relatam uma série de características únicas, incluindo uma pequena crista no crânio e uma pequena fileira de espinhos neurais que apontam para a frente.

A análise desse espécime sugere que ele está relacionado com outros hadrossauros do Extremo Oriente, como o Laiyangosaurus da China e o Kerberosaurus da Rússia.

CONTINUAR LENDO