Complexo arcano de rituais de 9.000 anos foi desenterrado em uma descoberta sem precedentes

0
331
O antigo complexo do santuário. Créditos: Autoridade de Antiguidades da Jordânia / Agence France-Presse.

Publicado na ScienceAlert

Arqueólogos nas profundezas do deserto da Jordânia descobriram um complexo ritualístico de 9.000 anos perto do que se acredita ser a primeira grande estrutura construída pelo homem em todo o mundo.

O local do santuário da Idade da Pedra, escavado no ano passado, foi usado por caçadores de gazelas e apresenta figuras de pedra esculpidas, um altar e um modelo em miniatura de uma armadilha de caça em grande escala.

As gigantescas armadilhas de caça desse tipo – as chamadas “pipas do deserto” – eram feitas de longas paredes que convergem para cercar gazelas correndo em uma área cercada ou buraco, estando, assim, prontas para o abate.

Estruturas semelhantes de duas ou mais paredes de pedra, algumas com vários quilômetros de comprimento, foram encontradas em desertos da Arábia Saudita, Síria, Turquia e Cazaquistão.

O antigo complexo do santuário. Créditos: Autoridade de Antiguidades da Jordânia / Agence France-Presse.

O local ritualístico da era neolítica foi descoberto dentro de um acampamento maior em outubro passado por uma equipe conjunta franco-jordaniana chamada de Projeto Arqueológico do Sudeste do Deserto Sírio (SEBA, na sigla em inglês).

As pipas do deserto nas proximidades de Jibal al-Khashabiyeh são “as primeiras estruturas humanas construídas em grande escala conhecidas até hoje”, disse um comunicado do Projeto SEBA.

Ele comemorou a “descoberta espetacular e sem precedentes” do local ritualístico, que se acredita datar de cerca de 7.000 a.C.

Ele apresentava duas estelas com características antropomórficas, a mais alta com 1,12 metros de altura, outros artefatos, incluindo estatuetas de animais, pederneiras e cerca de 150 fósseis marinhos dispostos.

O antigo complexo do santuário. Créditos: Autoridade de Antiguidades da Jordânia / Agence France-Presse.

O projeto de pesquisa mais amplo, de uma década, visa estudar “as primeiras sociedades pastoris nômades, bem como a evolução de estratégias especializadas de subsistência”.

As pipas do deserto sugerem “estratégias de caça em massa extremamente sofisticadas, inesperadas em um período tão precoce”, disse o comunicado do projeto.

O simbolismo sagrado foi provavelmente destinado a “invocar as forças sobrenaturais para caçadas bem-sucedidas e abundância de presas para capturar”, disse.

As equipes de pesquisadores também encontraram assentamentos com habitações circulares e grande número de ossos de gazelas.

O antigo complexo do santuário. Créditos: Autoridade de Antiguidades da Jordânia / Agence France-Presse.

O projeto é uma colaboração da Universidade Al Hussein Bin Talal da Jordânia e do Instituto Francês do Oriente Próximo.

A embaixadora francesa Veronique Vouland-Aneini elogiou o “resultado tanto para o mundo científico quanto para a Jordânia”, dizendo que “nos fornece um testemunho inestimável da vida histórica no Oriente Médio, suas tradições e rituais”.