Conheça o ‘Osso Frio’: a primeira espécie distinta de dinossauro encontrada na Groenlândia

0
52
Reconstrução do Issi saaneq vivo. Crédito: Victor Beccari.

Por David Nield
Publicado na ScienceAlert

Dois crânios de 214 milhões de anos podem pertencer à primeira espécie distinta de dinossauro identificada no que hoje é a Groenlândia, disseram pesquisadores.

Chamado de Issi saaneq (ou “osso frio” em inuíte da Groenlândia), acredita-se que o dinossauro tenha sido um sauropodomorfo herbívoro de pescoço comprido. Ele foi reconstruído a partir de dois crânios descobertos em 1994, que originalmente se pensava pertencerem ao plateossauro.

Após uma análise mais detalhada dos crânios – um juvenil e o outro um subadulto ou juvenil em estágio avançado – e uma comparação com outras descobertas fósseis mais recentes, os pesquisadores decidiram que esta é uma espécie própria, um ramo extra para adicionar à árvore genealógica dos dinossauros do Triássico Superior.

Reconstrução do Issi saaneq vivo. Crédito: Victor Beccari.

“A anatomia dos dois crânios é única em muitos aspectos, por exemplo na forma e nas proporções dos ossos”, disse o paleontólogo Victor Beccari, da Universidade NOVA de Lisboa, em Portugal. “Esses espécimes certamente pertencem a uma nova espécie”.

Usando um tipo de técnica de raios-X conhecida como tomografia microcomputadorizada (micro-CT), os pesquisadores foram capazes de construir modelos 3D dos crânios e identificar as principais diferenças do plateossauro – incluindo variações na posição e forma do mandíbula.

Embora não saibamos ao certo o quão grande Issi saaneq poderia ter sido, se a espécie fosse como outros plateossaurídeos, é possível que tivesse alcançado comprimentos de 3 a 10 metros, um tamanho semelhante ao plateossauro, assim como o Macrocollum e o Unaysaurus: duas espécies relacionadas encontradas no Brasil moderno, que são quase 15 milhões de anos mais velhas.

Quando Issi saaneq estava vivo, o supercontinente Pangeia estaria começando a se separar, formando o Oceano Atlântico no processo. É essa mudança geográfica que significa que agora temos fósseis de dinossauros espalhados por todo o mundo.

“Na época, a Terra estava passando por mudanças climáticas que permitiram que os primeiros dinossauros herbívoros chegassem à Europa e adiante”, disse o sedimentologista Lars Clemmensen, da Universidade de Copenhague, na Dinamarca.

Crânios de Issi saaneq. Crédito: Victor Beccari.

Outra coisa que é de particular interesse sobre essa descoberta é que os sauropodomorfos foram os predecessores dos saurópodes, os maiores animais que já caminharam na face da Terra – portanto, esta é uma peça-chave do quebra-cabeça evolucionário.

Embora haja muitas evidências da existência do plateossauro no que hoje é a Alemanha, França e Suíça, apenas alguns dinossauros dessa espécie foram desenterrados e documentados na atual Groenlândia.

Agora, há evidências de uma espécie distinta e própria de dinossauro da Groenlândia. Podemos adicioná-lo à lista crescente de novas espécies de dinossauros que estão sendo descobertas e documentadas a cada ano que passa.

“É emocionante descobrir um parente próximo do conhecido plateossauro, mais de cem dos quais já foram encontrados aqui na Alemanha”, disse o paleontólogo Oliver Wings, da Universidade Martinho Lutero de Halle-Wittenberg (UML).

A pesquisa foi publicada na Diversity.