Contaminação pelo novo coronavírus durante quarentena no cruzeiro

0
96
Créditos: Getty Images / Radoslav Zilinsky.

As chances de contaminação pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) aumentam consideravelmente em contatos próximos com pessoas infectadas.

Em uma pesquisa publicada na Scientific Reports, o Centro Médico da Universidade de Nebraska em parceria com a Nebraska Medicine, cuidaram de 13 indivíduos com infecção confirmada por SARS-CoV-2 evacuada do navio de cruzeiro Diamond Princess a partir de 6 de março de 2020.

Os pacientes que necessitam de cuidados hospitalares foram tratados na Unidade de Biocontenção de Nebraska e indivíduos levemente doentes foram isolados na Unidade Nacional de Quarentena, ambas localizadas no campus do centro médico. Os principais recursos incluíram: quartos individuais com banheiro privativo; salas de pressão negativa e corredores de pressão negativa; controle de acesso por cartão-chave; protocolos de prevenção e controle de infecção específicos da unidade, incluindo higiene das mãos e troca de luvas entre salas; e equipamento de proteção individual para funcionários que incluíam proteção por contato e partículas no ar.

Os resultados observaram contaminação significativa em salas onde os pacientes infectados com SARS-CoV-2 foram alojados e tratados, independentemente do grau de sintomas ou acuidade da doença. Houve contaminação em todos os tipos de amostras: amostras de ar de alto e baixo volume, bem como amostras de superfície, incluindo itens pessoais, superfícies de salas e banheiros. Amostras de banheiros de pacientes com teste positivo para RNA viral foram coerentes com outros relatos de disseminação viral nas fezes.

Assim, os resultados da pesquisa reforçam a necessidade de medidas preventivas em locais com espaço limitado.

Referência

  • Santarpia, J.L., Rivera, D.N., Herrera, V.L. et al. Aerosol and surface contamination of SARS-CoV-2 observed in quarantine and isolation care. Sci Rep 10, 12732 (2020). https://doi.org/10.1038/s41598-020-69286-3
CONTINUAR LENDO