Desenhos enigmáticos encontrados na Índia podem ser as maiores imagens já feitas por mãos humanas

0
259
Linhas sinuosas de Boha 3. Créditos: Carlo & Yohann Oetheimer, Archaeological Research in Asia, 2021.

Por Peter Dockrill
Publicado na ScienceAlert

Escondidos nas vastas extensões áridas do deserto do Thar, na Índia, encontram-se misteriosos desenhos antigos esculpidos na terra.

Esses desenhos recém-descobertos são de escala tão imensa que provavelmente nunca foram vistos na íntegra por aqueles que os fizeram, disseram os pesquisadores.

As enormes figuras são exemplos de geoglifos – representações gigantescas feitas à mão e padrões construídos ou esculpidos na terra, muitas vezes ocupando tal espaço que a verdadeira aparência de suas formas só pode ser apreciada de longe.

Entre todos os geoglifos conhecidos de relevância histórica – incluindo as famosas Linhas de Nazca do Peru – as formações do deserto do Thar parecem ser únicas, no entanto, representando o que pode realmente ser as maiores representações gráficas já desenhadas por humanos.

Vista aérea da espiral gigante (Boha 1) e Boha 2, incluindo a figura da serpente no canto inferior direito. Créditos: Carlo & Yohann Oetheimer, Archaeological Research in Asia, 2021.

“Até agora, esses geoglifos, os maiores descobertos no mundo e pela primeira vez no subcontinente indiano, também são únicos em seus signos enigmáticos”, explicaram os pesquisadores em um novo estudo que detalha a descoberta.

Descobertos por dois pesquisadores independentes da França – Carlo e Yohann Oetheimer – os novos geoglifos foram localizados usando o Google Earth, durante um levantamento virtual da região do Deserto do Thar (também conhecido como Grande Deserto Indiano); esta região abrange cerca de 200.00 quilômetros quadrados de território que se sobrepõe à Índia e ao Paquistão.

Em meio a essa paisagem enorme e seca, os Oetheimers identificaram vários locais ao redor da ‘Cidade Dourada’ de Jaisalmer marcados por linhas geométricas que lembram geoglifos.

Uma inspeção mais minuciosa durante um estudo de campo em 2016 usando um veículo aéreo não tripulado (VANT) revelou que alguns dos locais identificados eram sulcos cavados para plantações de árvores, mas também ajudou a revelar um agrupamento de formações de linhas enigmáticas aparentemente ausentes de árvores.

Em particular, duas “notáveis ​​figuras geométricas” de caráter excepcional perto da aldeia de Boha se destacaram: uma espiral gigante e um desenho em forma de serpente, cada uma conectada por um aglomerado de linhas sinuosas.

As linhas que compõem essas figuras são listras gravadas no solo, que variam de até 10 centímetros de profundidade e se espalham por 20 a 50 cm de largura. Embora essas dimensões de perto possam não ser notáveis, o que elas acabam criando são mais do que isso.

Seção espiral gigante, vista ao nível do solo. Tradução da imagem: metros (meters). Créditos: Carlo & Yohann Oetheimer, Archaeological Research in Asia, 2021.

O maior geoglifo identificado, a espiral assimétrica gigante (chamada Boha 1), é feita de uma única linha circular que percorre 12 quilômetros, em uma área de 724 metros de comprimento por 201 metros de largura.

A sudoeste deste vórtice enorme repousa um geoglifo serpentino (Boha 2), composto por uma linha de 11 quilômetros de comprimento, que engloba uma figura em forma de serpente, uma espiral menor e uma longa sequência de linhas no estilo bustrofédon retrocedendo e para frente.

Outros pequenos geoglifos também podem ser encontrados na região de Boha (incluindo uma característica de linhas sinuosas, chamadas Boha 3), que no total inclui cerca de 48 quilômetros de linhas ainda visíveis hoje, que os pesquisadores estimam podem ter se estendido por cerca de 80 quilômetros.

“A espiral gigante e a figura serpentina são definitivamente os principais pontos de interesse, intimamente ligados a Boha 3, sugerindo que todos os outros geoglifos foram criados como uma estrutura para este conjunto”, escreveram os pesquisadores.

“Devido à sua contiguidade espacial, os padrões 1, 2 e 3 podem ser percebidos como um projeto sequencial”.

O que esse projeto representa, e quem o criou, ainda não está totalmente claro, mas os pesquisadores sugerem que as formações não são antigas, mas geoglifos relativamente recentes, talvez com pelo menos 150 anos; eles também podem ser contemporâneos às pedras memoriais hindus encontradas na área.

Uma pedra memorial hindu, localizada perto dos geoglifos, e considerada parte do contexto cultural contemporâneo das linhas. Créditos: Carlo & Yohann Oetheimer, Archaeological Research in Asia, 2021.

Sem saber definitivamente mais sobre a identidade de seus criadores, é difícil especular sobre a função e o significado desses geoglifos gigantes, mas os pesquisadores têm algumas ideias.

Como a região é plana, e criadores dessas estruturas não teriam sido capazes de ver suas criações em seu esplendor (o que exigiria estar a cerca de 300 metros de altura), os autores dizem que é improvável que esses projetos tivessem a intenção de ser uma forma de expressão artística contemplada do solo, mas pode ter servido como um tipo desconhecido de prática cultural em sua criação.

“[Isso] nos convida a considerar significados religiosos, astronômicos e/ou cosmológicos”, disseram os pesquisadores.

“Por causa de sua singularidade, podemos especular que elas poderiam representar uma comemoração de um evento celestial excepcional observado localmente”.

Embora ainda não saibamos muito sobre essas marcas misteriosas e sua relação semântica, os pesquisadores dizem que os desenhos estranhos são notáveis ​​por seu tamanho incomparável em particular, mas também por seu design e implementação, que envolveria o conhecimento de matemática e planimetria para tal resultado.

Caberá a pesquisas futuras seguir essas pistas fascinantes, mas os Oetheimers esperam que, por enquanto, a publicação de seu estudo influencie as autoridades indianas a proteger a herança dessas linhas misteriosas, antes que a atividade humana as afetem e as escondam ainda mais.

Afinal, sejam o que elas forem, elas parecem ser muito especiais.

“Após extensa pesquisa, consideramos os geoglifos de Boha as maiores figuras geométricas artificiais abstratas e organicamente organizadas descobertas até agora”, escreveram os pesquisadores.

“Continuamos convencidos de que esses geoglifos únicos estão intimamente ligados ao seu contexto geográfico e cultural e, possivelmente, contêm uma mensagem universal ligada ao Sagrado e ao cosmos”.

Os resultados foram relatados na Archaeological Research in Asia.