Em dezembro, Júpiter e Saturno terão a aparência de um planeta duplo pela primeira vez desde a Idade Média

0
427
Uma representação que mostra como a conjunção Júpiter-Saturno aparecerá em um telescópio apontado do Hemisfério Norte, 18h CST, em 21 de novembro de 2020 (ou 21:00, 21 de dezembro de 2020 no Hemisfério Sul). A imagem foi adaptada por gráficos feitos pelo software planetário de código aberto Stellarium. Crédito: Patrick Hartigan.

Por Jade Boyd
Publicado na Rice University

Logo após o pôr do sol na noite de 21 de dezembro, Júpiter e Saturno aparecerão mais próximos no céu noturno da Terra do que estão desde a Idade Média, oferecendo às pessoas um deleite celestial para marcar o solstício de inverno no Hemisfério Norte.

“Alinhamentos entre esses dois planetas são bastante raros, ocorrendo uma vez a cada 20 anos ou mais, mas essa conjunção é excepcionalmente rara por causa da proximidade dos planetas”, disse o astrônomo Patrick Hartigan, pesquisador da Universidade Rice. “Você teria que voltar até pouco antes do amanhecer de 4 de março de 1226 para ver um alinhamento mais próximo entre esses objetos visíveis no céu noturno”.

Júpiter e Saturno têm se aproximado um do outro no céu da Terra desde o inverno aqui no Hemisfério Sul. De 16 a 25 de dezembro, os dois serão separados por menos do que o diâmetro de uma Lua cheia.

“Na noite de maior aproximação em 21 de dezembro, eles se parecerão com um planeta duplo, separados por apenas 1/5 do diâmetro da Lua cheia”, disse Hartigan, professor de física e astronomia. “Para a maioria dos observadores com telescópios, cada planeta e várias de suas maiores luas serão visíveis no mesmo campo de visão dessa noite”.

Embora as melhores condições de visualização sejam próximas ao Equador, o evento poderá ser observado em qualquer lugar da Terra, se o clima permitir. Hartigan disse que a dupla planetária aparecerá na parte de baixo do céu do Hemisfério Norte por cerca de uma hora após o pôr do sol todas as noites.

“Quanto mais ao norte um observador estiver, menos tempo eles terão para vislumbrar a conjunção antes que os planetas desapareçam abaixo do horizonte”, disse ele. Felizmente, os planetas serão brilhantes o suficiente para serem vistos no crepúsculo, que pode ser o melhor momento para muitos espectadores estadunidenses observarem a conjunção.

“Quando o céu estiver totalmente escuro em Houston (Texas, EUA), por exemplo, a conjunção estará apenas 9 graus acima do horizonte”, disse Hartigan. “Ver isso seria possível se o clima cooperasse e você tivesse uma visão desobstruída para o sudoeste”.

Porém, uma hora após o pôr do sol, as pessoas que estiverem olhando para o céu em Nova York ou Londres, encontrarão os planetas ainda mais próximos do horizonte, cerca de 7,5 graus e 5,3 graus, respectivamente. Os espectadores de lá, e em latitudes semelhantes, conseguiriam ter um vislumbre da rara visão astronômica logo após o pôr do sol, disse ele.

Aqueles que preferem esperar para ver Júpiter e Saturno tão próximos e mais altos no céu noturno precisarão estar vivos até 15 de março de 2080, disse Hartigan. Depois disso, a dupla não fará essa aparição até algum dia após o ano 2400.