Antigas vítimas da fúria do Monte Vesúvio são descobertas nas cinzas de Pompeia

0
92
Créditos: Luigi Spina / Parque Arqueológico de Pompeia / Agence France-Presse.

Publicado na ScienceAlert

Os restos mortais de duas vítimas da erupção do Monte Vesúvio há quase 2.000 anos foram desenterrados em uma grande villa nos arredores de Pompeia, disseram no sábado autoridades do sítio arqueológico.

“Dois esqueletos de indivíduos apanhados na fúria da erupção foram encontrados”, disseram as autoridades do local italiano perto de Nápoles em um comunicado.

Os pesquisadores acreditam que os corpos são de um jovem escravo e de um homem mais velho e rico, de cerca de 40 anos, que se presumia ser seu dono, com base nos vestígios de roupas e na aparência física.

Créditos: Luigi Spina / Parque Arqueológico de Pompeia / Agence France-Presse.

A cidade em ruínas de Pompeia foi submersa em cinzas após a erupção do Monte Vesúvio em 79 d.C. Agora é a segunda atração turística mais visitada da Itália depois do Coliseu de Roma, recebendo quase 4 milhões de visitas no ano passado.

O enorme local que abrange 44 hectares (110 acres) é o que resta de uma das cidades mais ricas do Império Romano. Camadas de cinzas enterraram muitos prédios e objetos em um estado quase intocado, incluindo cadáveres de vítimas pegas de surpresa.

Depois que os últimos restos humanos foram descobertos, os ossos foram analisados ​​e, em seguida, foi despejado gesso neles, uma técnica inventada por Giuseppe Fiorelli em 1867.

Isso cria um molde de gesso que mostra as formas dos corpos das duas vítimas, em decúbito dorsal, onde jazem.

Créditos: Luigi Spina / Parque Arqueológico de Pompeia / Agence France-Presse.

Os dois esqueletos foram encontrados durante as escavações em andamento em Civita Giuliana, cerca de 700 metros a noroeste de Pompeia, em uma vila com vista para a baía de Nápoles, onde anteriormente um estábulo e os restos de três cavalos juntos foram encontrados.

Os dois corpos foram encontrados em uma sala ao lado do “criptopórtico”, um corredor abaixo da villa, onde talvez poderiam estar buscando abrigo.

Enquanto as escavações continuam no local de Pompeia, o turismo foi interrompido devido às medidas contra o coronavírus.