Esqueleto de 2.100 anos de mulher grega é encontrado deitado em ‘cama de sereia’ de bronze

0
307
(Créditos: Areti Chondrogianni-Metoki)

Traduzido por Julio Batista
Original de Owen Jarus para a Live Science

Arqueólogos desenterraram o antigo sepultamento de uma mulher deitada em uma cama de bronze perto da cidade de Cozani, no norte da Grécia. É datado do primeiro século a.C.

Representações de sereias decoram as hates da cama. A cama também exibe uma imagem de um pássaro segurando uma cobra na boca, um símbolo do antigo deus grego Apolo.

A cabeça da mulher estava coberta com folhas de louro douradas que provavelmente faziam parte de uma coroa de flores, disse Areti Chondrogianni-Metoki, diretor do Eforato de Antiguidades de Cozani, à Live Science em um e-mail.

As partes de madeira da cama se decompuseram.

Fios de ouro, possivelmente de bordados, foram encontrados nas mãos da mulher, disse Chondrogianni-Metoki.

Além disso, quatro potes de barro e um vaso de vidro foram enterrados ao lado dos restos mortais. Nenhuma outra pessoa foi enterrada com ela.

Os arqueólogos estão agora analisando o esqueleto para determinar o estado de saúde da mulher e a idade em que ela morreu e a possível causa da morte.

Os artefatos encontrados com ela sugerem que ela provavelmente veio de uma família rica e pode ter pertencido a uma família real.

“Não sabemos muito sobre a história desta área [durante o primeiro século a.C.]”, disse Chondrogianni-Metoki à Live Science.

Milhares de anos atrás, Kozani estava perto de uma importante cidade chamada Mavropigi (o local agora é uma vila) que abrigava um santuário dedicado a Apolo, disse Chondrogianni-Metoki.

Registros históricos mostram que durante o primeiro século a.C., o controle e a influência romanos na Grécia estavam em ascensão.

Os romanos destruíram a cidade de Corinto em 146 a.C. e saquearam Atenas em 86 a.C. Em 48 a.C., uma batalha crucial no norte da Grécia, conhecida como Batalha de Farsália, viu o exército de Júlio César derrotar uma força liderada por Pompeu; a vitória resultou em César tornando-se o governante de facto de Roma.

Não está claro quando exatamente no primeiro século a.C. essa mulher viveu ou se ela teria testemunhado ou ouvido falar de qualquer um desses eventos históricos. Os restos mortais da mulher estão atualmente alojados no Museu Arqueológico de Aiani, na Grécia.

A Live Science entrou em contato com acadêmicos não afiliados à pesquisa para obter mais informações sobre a descoberta, mas nenhum estava disponível para oferecer comentários no momento da publicação.