Este dinossauro ‘muito estranho’ recém-descoberto estava equipado com uma arma cortante

0
125
Créditos: Lucas Jaymez / Dino Esculturas.

Por Laura Geggel
Publicado na Live Science

Paleontólogos no Chile subantártico descobriram os restos de um anquilossauro “muito estranho” que tinha uma cauda blindada mortal como nenhum outro dinossauro conhecido, disseram pesquisadores.

“A cauda teria parecido com uma espada. É muito plana”, disse ao Live Science o copesquisador principal do estudo Alexander Vargas, paleontólogo de vertebrados do Departamento de Biologia da Universidade do Chile. Teria se parecido “um pouco com uma espada asteca, ou a maça asteca chamada macuahuitl”.

Além de revelar sua cauda usada como arma, os restos do dinossauro contam uma história até então desconhecida sobre a evolução dos anquilossauros: a separação do supercontinente Pangeia durante o período jurássico (201,3 milhões a 145 milhões de anos atrás) levou a diferenças extremas entre os anquilossauros no Laurásia do supercontinente do norte e aqueles no supercontinente do sul Gonduana, como esta espécie recém-descoberta, chamada Stegouros elengassen.

A espécie recém-descoberta foi descrita em um estudo publicado online na quarta-feira (1º de dezembro) na revista Nature.

Os paleontólogos encontraram S. elengassen em rochas do período Cretáceo datando entre 71,7 milhões e 74,9 milhões de anos atrás em fevereiro de 2018. O esqueleto bem preservado estava cerca de 80 por cento completo, e “é estranho, porque é articulado [os ossos estão em ordem] da cintura para baixo, e tudo da cintura para cima estava meio espalhado”, disse Vargas.

Eles encontraram cerca de 80% do esqueleto do animal. Crédito: Francisco Hueichaleo.

O bicho morreu perto de um rio, talvez na areia movediça, o que explicaria por que sua metade inferior está tão bem preservada, embora isso seja apenas especulação, disse ele.

A equipe teve apenas cinco dias restantes na temporada de campo para escavar os restos mortais do dinossauro, e esse curto cronograma levou a um esforço meticuloso envolvendo uma torção no tornozelo, uma costela quebrada e quase hipotermia entre membros do grupo, disse Vargas.

Mas seu trabalho árduo valeu a pena: agora, a equipe predominantemente chilena tem um espécime único de um anquilossauro de cerca de 2 metros de comprimento com uma cauda que parece uma folhagem de samambaia.

O nome do gênero do dinossauro, Stegouros, vem das palavras gregas para “telhado” (stego) e “cauda” (uros) – um aceno para sua cauda coberta – e seu nome de espécie, elengassen, refere-se a um monstro blindado na mitologia do povo Aónik’enk local.

S. elengassen é notavelmente diferente dos anquilossauros da Laurásia; é levemente blindado com algumas fileiras de osteodermos, ou placas ósseas, e tem “uma cabeça bastante grande com um bico estreito e curvo, o que não é comum em anquilossauros”, disse Vargas. “Tem membros delgados… Não tem garras pontiagudas mas, sim, arredondadas como cascos nas mãos e nos pés”.

Além do mais, a pelve do anquilossauro é larga e semelhante a um estegossauro. “Se você tivesse apenas a pelve, pensaria que achou o primeiro estegossauro do Cretáceo”, disse ele. (O estegossauro viveu antes, durante o período jurássico.)

O paleontólogo Sergio Soto examinando os restos mortais de Stegouros elengassen. Crédito: Sergio Soto.

Sua cauda, a característica mais distinta do S. elengassen, ​​é a mais curta de qualquer dinossauro blindado conhecido. É feito de sete osteodermos grandes e achatados emparelhados. Os primeiros dois pares estão perto do corpo e os próximos cinco pares são fundidos como uma arma plana e poderosa, disse Vargas. Em contraste, outros anquilossauros têm espinhos ou maças emparelhados em suas caudas.

Até agora, não estava claro se os anquilossauros da Laurásia de alguma forma viajaram para o sul para povoar a Gonduana, disse Vargas.

No entanto, agora, S. elengassen, “o primeiro anquilossauro completamente estudado do hemisfério sul”, mostra que ele e dois outros anquilossauros conhecidos do hemisfério sul – Antarctopelta, da Antártica, e Kunbarrasaurus, da Austrália – carecem de muitos dos traços especializados que os os anquilossauros do Norte tiveram e que já tinham no Jurássico médio”, disse Vargas. “Então, estes devem ter se separado antes do Jurássico médio, o sugere raízes muito antigas”.

É emocionante encontrar um dinossauro blindado com uma cauda nunca antes vista, disse Vargas.

“Todos nós conhecemos as caudas do tipo maça, ​​todos conhecemos as cauda com espinhos, ​​mas esta é uma nova linhagem… uma linhagem do hemisfério sul que desenvolveu um terceiro tipo de arma de cauda”, disse Vargas.

De acordo com Matt Lamanna, um paleontólogo de vertebrados do Museu Carnegie de História Natural em Pittsburgh, nos EUA, que não estava envolvido no estudo, “é um material excepcional único e um dinossauro único realmente inesperado”.