Este terrível fungo zumbi força machos a acasalar com os mortos. Agora sabemos como

0
121
Uma mosca macho tentando acasalar com um cadáver de uma fêmea infectada por fungos. (Créditos: Filipo Castelucci)

Traduzido por Julio Batista
Original de David Nield para o ScienceAlert

O fungo Entomophthora muscae tem uma estratégia de sobrevivência que é fascinante e potencialmente vai fazer você perder a fome: ele infecta e ‘zumbifica’ moscas domésticas antes de enviar sinais químicos irresistíveis incentivando as moscas machos à necrofilia.

Ao atrair essas moscas machos para o acasalamento com fêmeas zumbificadas, o fungo pode se transferir para a mosca macho e, em teoria, ter uma chance melhor de dispersão adicional. A mosca macho azarada é então assumida por E. muscae da mesma maneira.

Crucial para o processo é a liberação de sesquiterpenos, ou mensagens químicas, que são sintetizadas no cadáver feminino e enviadas como um sinal sedutor. Com base nos experimentos realizados pelos pesquisadores, quanto mais tempo o cadáver está morto, mais atraente ele parece ser para os machos.

“Os sinais químicos agem como feromônios que enfeitiçam as moscas machos e causam um desejo incrível de acasalar com carcaças de fêmeas sem vida”, disse o biólogo evolutivo Henrik H. De Fine Licht, da Universidade de Copenhague, na Dinamarca.

Uma vez que E. muscae infectou uma mosca fêmea com seus esporos, ela começa a se multiplicar. Após cerca de seis dias, ele pode controlar o comportamento do inseto, enviando-o para o ponto mais alto possível (em uma parede ou em uma planta) antes de matá-lo. Esporos de fungos são então enviados da mosca morta, na esperança de pousar em outra.

Mas, como mostra este novo estudo, ao atrair um macho, E. muscae pode garantir que ele o passe para pelo menos mais um hospedeiro, que levará seus esporos por toda parte novamente.

A equipe usou uma variedade de análises químicas e técnicas de sequenciamento genético para descobrir exatamente o que o fungo estava fazendo, além de expor moscas machos a parceiras em diferentes estágios da infecção fúngica, ou que morreram por outras causas.

“Nossas observações sugerem que esta é uma estratégia muito deliberada para o fungo”, disse H. De Fine Licht. “É um verdadeiro mestre da manipulação – e isso é incrivelmente fascinante.”

Testes mostraram que cadáveres de moscas fêmeas que estavam mortas por 3-8 horas atraíam 15% dos machos, enquanto com cadáveres das que estavam mortas por 25-30 horas, esse número subiu para 73%. Quanto mais tempo passava, mais sinais químicos eram liberados.

Esta não é a única vez que os cientistas observaram sesquiterpenos sendo usados ​​para atrair a atenção de insetos. À medida que os sinais químicos aumentam, parece ser um dos mais eficazes na manipulação dessas pequenas criaturas.

Há muitas oportunidades para mais pesquisas aqui, principalmente em repelentes eficazes de moscas – as moscas podem infectar humanos com várias doenças, e os sesquiterpenos podem ser usados ​​para atrair moscas para longe de certas áreas, como onde a comida está sendo preparada.

“É aqui que o fungo Entomophthora muscae pode ser útil”, disse H. De Fine Licht. “Pode ser possível usarmos essas mesmas fragrâncias fúngicas como um controle biológico de pragas que atrai machos saudáveis ​​​​para uma armadilha para moscas em vez de um cadáver”.

A pesquisa foi publicada no ISME Journal.