Estresse aumenta riscos de doenças no fígado

0
170
Crédito: Sapo.

A doença hepática gordurosa não alcoólica é um quadro inflamatório gorduroso localizado no fígado, de modo que o processo fisiopatológico não tem relação com o consumo de álcool em excesso. Esse distúrbio metabólico tem associação com síndrome metabólica e resistência à insulina.

O estudo conduzido pela Sungkyunkwan University (Coreia do Sul) publicado na Scientific Reports avaliou a associação entre estresse percebido e a doença hepática gordurosa não-alcóolica em uma amostra de 171.321 voluntários do sexo masculino e feminino aparentemente saudáveis que participaram de um programa de triagem de saúde.

O Estudo de Coorte Kangbuk Samsung é um estudo de homens e mulheres coreanos com 18 anos ou mais que foram submetidos a um abrangente exame anual ou bienal de saúde nos Centros de Triagem de Saúde do Hospital Kangbuk Samsung em Seul e Suwon, Coreia do Sul.

Para analisar o estresse percebido, foi aplicado o questionário de estresse percebido. O questionário é composto por 9 itens em 3 domínios (tensão, depressão e raiva).

Foram excluídos participantes que apresentaram as seguintes condições: consumo excessivo de álcool, definido como consumo de álcool > 30 g / d em homens ou > 20 g / d em mulheres; história autorreferida de hepatite, uso de medicamentos para hepatite ou evidência sorológica de infecção pelo vírus da hepatite B ou hepatite C; história autorreferida de cirurgia hepática, transplante hepático, evidência de cirrose hepática ou tumor hepático no exame de ultrassom; uso relatado de medicamentos que podem induzir fígado gorduroso, incluindo corticosteróides, estrógenos, metotrexato, tetraciclina ou tamoxifeno; história autorreferida de cirurgia gastrointestinal ou; história autorreferida de câncer.

Os resultados da análise estatística da pesquisa apontaram que o questionário de estresse percebido teve uma associação diretamente proporcional com a prevalência de doença hepática gordurosa não-alcóolica.

Portanto, os autores sugerem que essa relação possa ser influenciada pelo efeito do estresse sobre o aumento da adiposidade, por meio da ativação do eixo hipotálamo-hipofisário, aumentando os níveis de catecolaminas (adrenalina e noradrenalina) e cortisol (hormônio do estresse).

Referência

  • Kang, D., Zhao, D., Ryu, S. et al. Perceived stress and non-alcoholic fatty liver disease in apparently healthy men and women. Sci Rep 10, 38 (2020) doi:10.1038/s41598-019-57036-z
CONTINUAR LENDO