Homossexualidade e a Evolução

36
11357

Eu cometi o erro de ler alguns dos comentários nestes últimos vídeos do YouTube. Haviam bons comentários, mas também haviam outros com os costumeiros idiotas reclamando sobre homossexuais e “travestis”, também citando versos da Bíblia e fazendo comentários racistas sobre os africanos. Vamos passar por cima destes argumentos desprezíveis; não há como lidar racionalmente com eles. Esqueçamos e vamos em frente.

Não há outro tipo de argumento que me incomode mais que: pessoas que usam a ciência e a evolução para abordar suas concepções ignorantes sobre a natureza humana. Eu quero falar sobre dois, os anti-homossexuais e os em favor; os dois errados.

Primeiro, há o ponto de vista reducionista que pouco sabe sobre a seleção natural:

“…interessante ponto de vista, mas não. Evolução baseia-se na competição. Se você não se reproduz, você sai do jogo. Os genes deles não são passados à diante. Diante da cruzada evolucionária, este é o fim do jogo. Não importa qual doença você cure, qual filosofia você ensine, biologicamente, você perde. Agora, novamente, na sociedade moderna, as coisas são mais complexas. Há coisas mais importantes na vida do que quantos “mini-vocês” você pode fazer, mas aos propósitos da biologia, a coisa acaba aqui”.

Se a evolução baseia-se na competição, como a reprodução em espécies sexuais requer cooperação entre dois indivíduos para acontecer? Você já notou que reproduzir-se não é exatamente “replicar-se”? Você pega seu complemento de 20,000 pares de genes, joga metade fora, divide os restantes em diferentes combinações, os une com os genes de outra pessoa, e eis que surge um indivíduo único. Não um clone, de nenhum dos dois – Alguém totalmente diferente.

Somente isto já poderia explicar que você não é o ponto crucial na evolução. Você é uma plataforma de testes para uma bateria de genes. Genes que são compartilhados com outros membros de sua comunidade. A evolução é a propagação de genes que tende a produzir indivíduos com sucesso; procure saber sobre a “aptidão inclusiva”. Você compartilha genes e combinação de genes com seus irmãos, seus primos, e outros parentes distantes – Há mais de uma maneira para o seu grupo familiar propagar seus genes do que maximizar a reprodução de cada indivíduo de um grupo familiar.

Eu também devo rir toda vez que um animal multicelular esquecido anuncia que evolução baseia-se na competição, e que a única coisa que importa é o tanto de filhos que você produz. Você percebe que sua existência, por inteiro, é feita de cooperação? Seus pais são feitos de trilhões de células, em sua maioria, dedicadas a funções especiais, não reprodutivas, em comparação a uma pequena minoria de células que podem produzir gametas.  E de todos esses gametas, apenas dois são combinados para fazer você – o grande conglomerado de células, que eram seus pais, dedicadas agora a cooperativamente ajudar a desenvolver o pequeno zigoto, que era você (Sendo que ambas não são geneticamente idênticas) em um aglomerado de massa ligeiramente similar às anteriores.

Enfim, se isto é muito abstrato para você, considere isso: você provavelmente estaria morto agora se os cientistas não tivessem colaborado para fazer vacinas contra doenças infantis, se os médicos e sua família não tivessem trabalhado para lhe manter saudável e educado. Imagine todos aqueles pedreiros que construíram suas casas, e os encanadores que instalaram os canos, e os eletricistas que instalaram os fios. Imagine a vasta gama que trabalha para fornecer combustível para o aquecimento, e a comida para a alimentação. Tudo o que você considera importante a você, foi criado à base de cooperação.

Se você pensa de outra maneira, vá se masturbar num pote e espere ansiosamente que alguma de sua prole possa vingar sem nenhuma ajuda.

Aqui há um argumento à favor dos homossexuais, baseado na evolução. É tão irritante quanto o anterior:

“Por um ponto de vista especificamente baseado nas ideias da evolução natural, eu sempre considerei que a “homossexualidade” é tão velha quanto às espécies em geral, e essa foi a maneira da evolução tanto alcançar o crescimento das espécies em dia (já que os humanos são uns dos únicos animais que fazem sexo por prazer), quanto garantir que os jovens órfãos recebessem carinho, tivessem alguém para lhes guiar e proteger durante os anos de formação. Isso é apenas uma teoria baseada na natureza da natureza”.

Não antropomorfize a evolução. A evolução não é uma entidade que planeja e controla populações, não é uma babá que cuida dos mais jovens – se eles são órfãos, uma probabilidade evolucionária é que eles morram, outra é que os sobreviventes possam cuidar deles, e tudo o que importa é se a população persiste. Em particular, a evolução não está preocupada em manter as populações “em dia”, é uma simples cadeia que permite que a população desponte, e eventualmente (e inevitavelmente) alcance as limitações fisiológicas de biológicas, ou sofra pressão de outras populações em crescimento, e então a física acontece.

Nada pessoal. A evolução não tem favoritos. Ela não pode: é só uma variedade de chances e leis da física interagindo em ambientes em particular.

Aqui há a minha perspectiva sobre evolução e homossexualidade:

Os humanos são organismos complexos em que o desenvolvimento é plástico e depende fortemente de influências do ambiente. Há a pressão da seleção natural para que a população se reproduza. Nós, seres sociais, respondemos a essa pressão com uma gama de indivíduos que se reproduzem a ponto de restaurar a população em cada geração que se passa, e a próxima geração trabalha cooperativamente para que haja um ambiente acolhedor.

A evolução não se importa. Tudo o que importa é que a população desponte até a próxima geração; e isso requer a cooperação dos indivíduos. A evolução também não é uma administradora; nós adquirimos variações aleatórias puramente por chances. Algumas funcionam, outras não, e em geral, há tantos fatores competitivos guiando nossa sobrevivência que a seleção natural não pode em hipótese alguma “afinar” as propriedades emergentes do comportamento a um grau que a biologia possa especificar exatamente com quem você vai esfregar as genitálias. Nós estamos ligando com tendências gerais expressadas em vários níveis em indivíduos de uma população.

Se há um imperativo biológico para os humanos, é este: amar uns aos outros. Construir comunidades. Cooperar. Ajudar um ao outro em adversidades. Populações de sucesso irão expressar estes comportamentos em um nível elevado.

Há também pontos que favorecem a interação sexual com indivíduos de diferentes sexos, mas isto é uma prioridade secundária. Mesmo que a preferência sexual não existisse, ou fosse totalmente aleatória, as mulheres iriam fazer pares com os homens na metade das ocasiões, o que seria mais que suficiente para propagar a espécie, especialmente se a outra metade estiver trabalhando cooperativamente para construir casas seguras, manter um estoque estável de comida, e fornecer um ambiente amável e educativo.

Pela minha perspectiva biológica, o comportamento negativo que afeta a sobrevivência não é a homossexualidade, mas qualquer coisa que rompa os laços de cooperatividade de uma comunidade e fomente o ódio – homofobia em humanos é um comportamento destrutivo que a seleção natural deveria trabalhar contra. Mas mantenha em mente: se “deus” não tem boa mira, a evolução tem ainda pior… então nós deveríamos encorajar comportamentos que desencorajam atitudes que trabalham contra a nossa sobrevivência.



Texto original em Inglês por PZ Myers: http://scienceblogs.com/pharyngula/2014/08/31/homosexuality-and-evolution/

CONTINUAR LENDO