Inteligência Artificial se equipara a humanos no diagnóstico de câncer cerebral

Créditos: Puwadol Jaturawutthichai / Alamy Stock Photo.

Por Gege Li
Publicado na New Scientist

Uma Inteligência Artificial (IA) agora pode diagnosticar alguns tipos de câncer com base em imagens de biópsia de tumores cerebrais com o mesmo nível de exatidão do que os seres humanos.

A IA analisa imagens de alta resolução de tumores utilizando um método chamado Histologia Estimulada de Raman (SRH).

Todd Hollon, pesquisador da Universidade de Michigan, e seus colegas geraram mais de 2 milhões de imagens com SRH de tumores cerebrais de 415 pessoas. Cada imagem mostrou uma pequena região de um tumor excisado e revelou qual tipo de tumor cerebral estava entre os 10 tipos mais comuns. A equipe alimentou a IA com todas as imagens para que pudesse aprender a identificar características do tecido ligadas a esses tipos específicos de câncer.

As imagens vieram de biópsias que haviam sido coletadas de uma pequena amostra de tumor suspeito para análise ou cirurgia de remoção. Particularmente, tumores agressivos podem ser completamente removidos, mas isso raramente funciona para câncer no cérebro, porque os tumores são frequentemente integrados ao próprio cérebro.

A equipe de Hollon testou a IA em um ensaio clínico no qual imagens de tumores de 278 pacientes com sintomas neurológicos foram aleatoriamente designadas à IA ou a patologistas humanos para proceder com os diagnósticos.

Os diagnósticos da IA ​​- que levam cerca de 15 segundos – eram precisos 94,6% das vezes, em comparação com a precisão humana de 93,9%. A exatidão foi verificada comparando os diagnósticos visuais com um que envolvia testes mais demorados em laboratório.

Essa IA pode eventualmente exercer a função dos seres humanos ao analisar imagens de tumores para detecção de câncer, diz Bilal Mateen no King’s College Hospital. “Estou muito otimista de que a IA poderá fazer uma grande diferença”.

Por mais promissor que pareça, “até que você faça um estudo em vários centros em tempo real, não poderá realmente saber a extensão do desempenho”, diz Paul Brennan, pesquisador da Cancer Research UK.

CONTINUAR LENDO