‘Mini Lua’ desconhecida no Sistema Solar Exterior é uma das menores já encontradas

0
228
Ilustração do asteroide troiano Polímela. (Créditos: Centro de Voo Espacial Goddard da NASA)

Traduzido por Julio Batista
Original de Harry Baker para a Live Science

Astrônomos podem ter detectado uma “minilua” não descoberta anteriormente no Sistema Solar: um objeto rochoso orbitando um pequeno asteroide perto de Júpiter.

Se o satélite rochoso, que é apenas um pouco mais largo que a largura de Manhattan, for confirmado como uma lua, seria uma das menores luas já vistas.

O pequeno satélite foi descoberto por cientistas que trabalham na missão Lucy da NASA, que está enviando uma sonda espacial para estudar alguns dos asteroides troianos, dois grupos maciços de rochas espaciais que estão localizados em cada lado de Júpiter em sua órbita ao redor do Sol.

A sonda Lucy foi lançada em 16 de outubro de 2021 e chegará aos asteroides troianos no final de 2027, depois de fazer uma rápida parada no cinturão de asteroides entre Marte e Júpiter.

Até então, os cientistas da missão Lucy estão tentando aprender mais sobre algumas dessas rochas misteriosas para ajudar a identificar onde a sonda pode ser mais útil.

Em 27 de março, o menor dos alvos troianos de Lucy, conhecido como Polímela, passou na frente de uma estrela distante, permitindo que os cientistas da missão medissem com precisão o tamanho da rocha espacial observando quanto da luz da estrela o asteroide bloqueou enquanto passava.

No entanto, a equipe também observou um pequeno “blip” inesperado subsequente  no sinal quando um segundo asteroide seguiu o rastro de Polímela.

Depois de analisar os dados, a equipe concluiu que o segundo sinal “tinha que ser um satélite”, disse o pesquisador principal Marc Buie, astrônomo do Instituto de Pesquisa do Sudoeste em Boulder, Colorado (EUA), em um comunicado da NASA.

O satélite recém-descoberto tem um diâmetro de cerca de 5 quilômetros e está separado do Polímela, de 27 quilômetros, por uma distância de cerca de 201 quilômetros. No momento da observação, Polímela estava a cerca de 772 milhões de km da Terra.

“Essas distâncias são aproximadamente equivalentes a encontrar uma moeda em uma calçada em Los Angeles enquanto tentamos localizá-lo de um arranha-céu em Manhattan”, escreveram representantes da NASA no comunicado.

Uma comparação de tamanho entre Polímela e seu satélite sem nome. (Créditos: Centro de Voo Espacial Goddard da NASA)

O termo “lua” pode se referir a qualquer corpo sólido natural que orbita um planeta, planeta anão ou asteroide. Mais de 200 luas foram reconhecidas no Sistema Solar (sem incluir luas de asteroides), mas o número real é provavelmente muito maior, de acordo com a NASA.

Os pesquisadores puderam fazer apenas observações passageiras do satélite de Polímela, então seu caminho orbital é altamente incerto. Como resultado, a rocha espacial ainda não pode ser oficialmente designada como uma lua ou ser nomeada adequadamente.

Mas os pesquisadores estão confiantes de que, quando a sonda Lucy chegar a Polímela, a espaçonave poderá coletar dados suficientes para designá-la como uma lua verdadeira.

Esta não é a primeira vez que os cientistas da missão Lucy avistam um satélite seguindo um asteroide troiano.

Em 2021, a equipe detectou um satélite de 1 km de largura orbitando Euríbates, que será o primeiro alvo troiano de Lucy, depois de analisar dados coletados pelo Telescópio Espacial Hubble da NASA, de acordo com o site irmão da Live Science, Space.com. Nesta ocasião, os pesquisadores determinaram o caminho orbital da lua e a batizaram oficialmente de Queta.