Mistérios do quadro-negro cheio de rabiscos de Stephen Hawking podem finalmente ser decifrados

0
232
O quadro-negro de Hawking. Créditos: Isidora Bojovic / Grupo do Museu de Ciências.

Por Brandon Specktor
Publicado na Live Science

Uma nova exposição do museu espera descobrir os segredos por trás dos rabiscos, piadas e mensagens codificadas em um quadro-negro que o lendário físico Stephen Hawking manteve intocado por mais de 35 anos.

O quadro-negro data de 1980, quando Hawking se juntou a colegas físicos em uma conferência sobre superespaço e supergravidade na Universidade de Cambridge, no Reino Unido, de acordo com o The Guardian. 

Ao tentar chegar a uma “teoria de tudo” cosmológica – um conjunto de equações que combinaria as regras da relatividade geral e da mecânica quântica – os colegas de Hawking usaram o quadro-negro como uma distração bem-vinda, preenchendo-o com uma mistura de equações inacabadas, trocadilhos desconcertantes e rabiscos confusos.

Ainda preservado mais de 40 anos depois, o quadro-negro confuso acaba de ser exibido ao público pela primeira vez como a peça central de uma nova exposição no escritório de Hawking, inaugurada em 10 de fevereiro no Museu de Ciências de Londres. O museu receberá físicos e amigos de Hawking – que morreu em 2018 aos 76 anos – de todo o mundo, na esperança de que eles possam decifrar alguns dos rabiscos feitos à mão.

O que, por exemplo, significa “simetria de estupor” (stupor symmetry)? Quem é o grande marciano de barba desgrenhada desenhado no centro do quadro-negro? Por que há uma lula de nariz caído escalando uma parede de tijolos? O que está escondido dentro da lata rotulada “Supergravidade Exxon” (Exxon supergravity)? Espero que as grandes mentes da matemática e da física do mundo possam responder à situação.

O quadro-negro se junta a dezenas de outros artefatos de Hawking em exibição, incluindo uma cópia da tese de doutorado do físico de 1966 sobre a expansão do universo, sua cadeira de rodas e uma jaqueta personalizada dada a ele pelos criadores de Os Simpsons para homenagear suas múltiplas aparições no programa.

A exposição ficará em cartaz até 12 de junho no Museu de Ciências em Londres, antes de ir para estrada com paradas em vários outros museus do Reino Unido, segundo o The Guardian.

Hawking nasceu na Inglaterra em 8 de janeiro de 1942. Enquanto estudava cosmologia na Universidade de Cambridge em 1963, ele foi diagnosticado com doença do neurônio motor, mais comumente conhecida como doença de Lou Gehrig ou esclerose lateral amiotrófica (ELA).

Com apenas 21 anos, esperava-se que Hawking vivesse apenas mais dois anos. Ele continuou a viver e trabalhar por mais de cinco décadas, publicando trabalhos pioneiros sobre buracos negros, a teoria do Big Bang e a relatividade geral.