Morte magnética deixa secos exoplanetas parecidos com a Terra

Publicado na New Scientist

Aparentemente, nos exoplanetas habitáveis podem estar faltando uma blindagem magnética, deixando-os expostos à radiação.

Para suportar a vida como a conhecemos, os planetas precisam de uma determinada espessura, ambientes ricos em água, e água em estado líquido na superfície. Essas condições têm sido até agora só especuladas, baseando-se principalmente na distância de um planeta em relação a sua estrela.

Mas a água teria se dividido (teria dividido o vapor de água em hidrogênio, que escaparia para o espaço, e oxigênio, que poderia ir para formar o dióxido de carbono do gás de efeito estufa) devido aos ventos estelares, a menos que o planeta tenha um forte campo magnético, apontam Jorge Zuluaga e seus colegas da Universidade de Antioquia na Colômbia. Marte e Vênus não tem campos magnéticos, e sabe-se que os ventos estelares (solares) arrancaram a maior parte da atmosfera de Marte, enquanto Vênus ficou com maior parte do dióxido de carbono, tornando-se tóxico.

Um campo magnético também protegeria os habitantes da superfície da um planeta da perigosa radiação estelar.

Período de Arrefecimento

Um núcleo fundido ajuda a gerar um campo magnético, e a equipe calculou quanto tempo levaria para um planeta rochoso esfriar-se fazendo que o dínamo magnético parasse de funcionar.

Eles, então, verificaram três exoplanetas potencialmente habitáveis: Gliese 581d, HD 40307g e GJ 667Cc. Os dois primeiros podem ter apenas campos magnéticos não muito fortes, mas o terceiro está condenado.

Zuluaga sublinha a importância de se considerar os campos magnéticos quando se pensa em um planeta com um bom lugar para se viver. “Se queremos avaliar melhor a possível habitualidade de um planeta, é preciso de mais informação, não só a distância até a estrela.”

CONTINUAR LENDO
Artigo anteriorComo enviar um “haicai” para Marte em naves espaciais da NASA
Próximo artigoIntrodução à Astrobiologia
Douglas Rodrigues Aguiar de Oliveira
Douglas Rodrigues Aguiar de Oliveira é fundador do Universo Racionalista. Pós-graduação em andamento em Ethical Hacking e Cybersecurity do Centro de Inovação VincIT (UNICIV) pela Faculdade Eficaz. Especialização em andamento em Cybersecurity pela Rochester Institute of Technology (edX MicroMasters Programs). Especialização em Epidemiology in Public Health Practice pela Johns Hopkins University (Coursera Specialization). Especialização em Fundamentals of Computing Network Security pela University of Colorado System (Coursera Specialization). Especialização em Journey of the Universe: A Story for Our Times pela Yale University (Coursera Specialization). Graduação em andamento em Tecnologia em Radiologia pela Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Graduação em Tecnologia em Redes de Computadores pela Universidade de Franca (UNIFRAN). É um árduo defensor do El espíritu de la ilustración (Cientificismo, Humanismo e Racionalismo). É administrador do Instituto Ética, Racionalidade e Futuro da Humanidade e membro da Rede Brasileira de Astrobiologia. Atualmente, escreve sobre uma variedade de temas: Astronomia, Filosofia, Física, Neurociência, Psicologia, Sociologia e Tecnologia. Endereço do Currículo Lattes e do PayPal (Doações).