Nenhum dos astronautas da Apollo 13 realmente disse “Houston, temos um problema”

0
211

Por vários editores
Publicado no The Hindu e no Washington Post

Em 13 de abril de 1970, a missão Apollo 13 à Lua foi abalada por uma explosão a bordo. O módulo de comando ficou escuro. A Terra estava a mais de 300 mil km de distância. Um astronauta se comunicou por rádio com o controle da missão dizendo a icônica frase: “Houston, temos um problema”.

A frase tornou-se um marco cultural. Locutores esportivos e políticos a declaram com veemência. Em livros, filmes, peças de teatro e músicas, ela se tornou uma forma abreviada de dizer que algo deu errado, às vezes terrivelmente.

O único problema é que essa frase jamais foi dita por nenhum dos astronautas da Apollo 13. No espaço naquela noite, após a explosão, este foi o diálogo real entre o controle da missão e os astronautas Jack Swigert e James Lovell:

Swigert: “Ok, Houston, tivemos um problema aqui”.
Controle da missão: “Aqui é Houston. Diga novamente, por favor”.
Lovell: “Uh, Houston, tivemos um problema”.

Pesquise no Google por “Houston, temos um problema” e você obterá 800.000 resultados. Pesquise no Google por “Ok, Houston, tivemos um problema aqui” e você obterá 3.180. Então, de onde veio a frase “Houston, temos um problema”?

As citações mais conhecidas da Apollo 13 não se originaram no espaço ou no controle da missão, mas no cinema

A resposta está nos bastidores de Hollywood. Há mais de 25 anos, no dia 22 de junho de 1995, era lançado o filme Apollo 13. No filme, Lovell (interpretado por Tom Hanks) entrega o slogan depois que um dos tanques de oxigênio da Apollo 13 explode a caminho da Lua.

Mas as transcrições das gravações de áudio da missão real mostram que, logo após a explosão, Haise começou a dizer “Ok, Houston” e Swigert interrompeu com: “Acho que tivemos um problema aqui”. O controle de solo pediu aos astronautas que repetissem, e Lovell então disse “Houston, tivemos um problema”. Os roteiristas do filme queriam aprimorar isso. Assim nasceu, “Houston, temos um problema”.

Uma licença ainda mais artística foi obtida com o discurso de mobilização do diretor de voo da NASA, Gene Kranz, para sua equipe em Houston. Kranz nunca declarou: “O fracasso não é uma opção”. Pergunte a Kranz o que ele realmente disse aos controladores de voo e ele o contará sem hesitar meio século depois.

“Eu nunca perdi um americano no espaço, com certeza não vou perder um agora. Esta tripulação está voltando para casa. Vocês têm que acreditar. Nossa equipe deve acreditar. E devemos fazer isso acontecer”.

Kranz disse que os cineastas sugeriram “O fracasso não é uma opção”. Ele gostaria de ter dito isso? “Não, estou satisfeito com o que disse. Na verdade, toda vez que eu falo… tento não plagiar”, disse ele com uma risada.

O filme do diretor Ron Howard, estrelado por Ed Harris como Kranz e Tom Hanks como o comandante da missão Jim Lovell, foi baseado na autobiografia de Lovell de 1994, intitulada “Lua Perdida”. Os atores Bill Paxton e Kevin Bacon interpretaram os astronautas da Apollo 13, Fred Haise e Jack Swigert.