O novo algoritmo do Facebook, ao priorizar o conteúdo do usuário, desencadeia uma avalanche de notícias falsas

Créditos: AP.

Por Carlos Zahumenszky
Publicado no Gizmodo

O Facebook começou o ano anunciando uma mudança em seus algoritmos que controlam o fluxo de publicações. De acordo com a rede social, a mudança busca priorizar o conteúdo de amigos e familiares sobre as notícias. Em alguns países, no entanto, a mudança teve um efeito colateral muito perturbador.

Um dos países selecionados pelo Facebook para ser cobaia de seu novo algoritmo foi a Bolívia. Desde outubro, a mídia do país viu o seu tráfego proveniente do Facebook cair (o algoritmo coloca as notícias para uma nova guia chamada Explore). Até esse ponto, parecia que a mudança estava dando o efeito desejado. No entanto, o que aconteceu é que agora é muito mais difícil ler as notícias que não vêm de meios oficiais relacionados ao governo. As notícias da mídia independente deram lugar ao que os usuários decidem compartilhar, e isso significa uma avalanche de conteúdo antigo ou abertamente falso.

Na Eslováquia, onde o parlamento está sob o controle de uma minoria de extrema direita, o novo algoritmo do Facebook levou a uma queda de 30% no tráfego de mídia do Facebook e também a um aumento das notícias falsas.

O especialista em redes sociais do site de notícias Denník N, Filip Struharik, explica ao New York Times que a mudança permitiu a propagação do discurso de ódio, como a história de um muçulmano que confessou ter colocado uma bomba em um mercado por causa de um católico que devolveu uma carteira perdida. “As pessoas geralmente não compartilham notícias entediantes ou dados chatos”, acrescenta Struharik.

A mudança no algoritmo não funciona da mesma forma em todos os países, mas nesses dois casos onde está sendo testado o resultado é justamente o contrário do que tinham pretendido. Talvez o problema do Facebook não seja apenas o que a mídia publica, mas o que os usuários decidem compartilhar em seus murais.

CONTINUAR LENDO
Artigo anteriorTeoria do Filtro: por que encontrar a vida extraterrestre pode ser a pior notícia para a humanidade?
Próximo artigoInteligência Artificial do Google confunde fotos de gorilas com pessoas
Douglas Rodrigues Aguiar de Oliveira
Sou fundador da Universo Racionalista | Graduando em Tecnologia em Redes de Computadores pela Universidade de Franca | Especialista em Fundamentals of Computing Network Security ( • Design and Analyze Secure Networked Systems • Basic Cryptography and Programming with Crypto API • Hacking and Patching • Secure Networked System with Firewall and IDS ) pela University of Colorado | Especialização em andamento em Cybersecurity ( • Computer Forensics • Network Security • Cybersecurity Fundamentals • Cybersecurity Risk Management • Cybersecurity Capstone ) pela Rochester Institute of Technology | Certificação em Information Security Specialist ( • InfoSec Foundation • Ethical Hacking Essentials • Computer Forensics Foundation ) pela ITCERTS | Certificação em Information Security Analyst ( • Information Security Policy Foundation • Vulnerability Management Foundation ) pela ITCERTS | Cursei integralmente as disciplinas teóricas em Licenciatura em Filosofia pela Universidade de Franca, mas não realizei o estágio supervisionado para a obtenção do diploma de Ensino Superior | Especialista em Journey of the Universe: A Story for Our Times pela Yale University | Colaborador do Instituto Ética, Racionalidade e Futuro da Humanidade | Colunista da Climatologia Geográfica | Membro da Rede Brasileira de Astrobiologia | Abaixo, segue o endereço do currículo na plataforma Lattes e LinkedIn.