Novos achados em Pompeia destacam a vida da classe média na cidade condenada

0
73
Uma foto fornecida pela assessoria de imprensa do Sítio Arqueológico de Pompeia, mostrando as últimas descobertas na antiga cidade, que enriquece o conhecimento sobre a vida cotidiana das famílias de classe média. O diretor do sítio arqueológico, Gabriel Zuchtriegel, disse no sábado, 6 de agosto de 2022, que as escavações de quartos em uma casa desenterrada pela primeira vez em 2018, revelaram o ambiente dos cidadãos comuns da cidade, que estava florescendo antes de ser destruída pelo erupção vulcânica do Monte Vesúvio em 79 d.C. (Créditos: Parque Arqueológico de Pompeia via AP/"Pompeia Reconstruída", 2016 por Archeolibri S.R.L, Roma, Itália)

Traduzido por Julio Batista
Original de Frances D’Emilio para a Phys.org

Um baú com a tampa aberta. Um armário de louças de madeira, com suas prateleiras desmoronadas. Mesas lateral de três pernas com tigelas decorativas. Essas últimas descobertas de arqueólogos estão enriquecendo o conhecimento sobre a vida da classe média em Pompeia antes da furiosa erupção do Monte Vesúvio enterrar a antiga cidade romana em detritos vulcânicos.

O parque arqueológico de Pompeia, uma das principais atrações turísticas da Itália, anunciou as recentes descobertas no sábado. Seu diretor, Gabriel Zuchtriegel, disse que a escavação de quartos em uma “domus”, ou casa, desenterrada pela primeira vez em 2018 revelou detalhes preciosos sobre o ambiente doméstico dos cidadãos comuns da cidade, que foi destruída em 79 d.C.

Nas últimas décadas, a escavação se concentrou principalmente em suntuosas vilas com afrescos elaborados dos moradores da classe alta de Pompeia. Mas a atividade arqueológica no extenso local, perto da Nápoles moderna, tem se concentrado cada vez mais na vida da classe média, bem como de servos e outras pessoas escravizadas.

“No império romano, havia uma ampla parcela da população que tinha dias sofridos com seu status social e para quem ‘pão de cada dia’ era tudo menos um dado”, disse Zuchtriegel. “Uma classe vulnerável durante crises políticas e escassez de alimentos, mas também ambiciosa em subir a escada social.”

Os achados revelados no sábado incluem móveis e objetos domésticos na domus, que foi apelidada de Casa do Larário por conta de uma área de uma casa dedicada aos espíritos domésticos conhecida como lares. A casa desenterrada em 2018 tem uma área dessas no pátio.

Nesta imagem fornecida pela assessoria de imprensa do sítio arqueológico de Pompeia, arqueólogos trabalham no local de uma nova descoberta. As últimas descobertas na antiga cidade de Pompéia estão enriquecendo o conhecimento sobre a vida cotidiana das famílias de classe média. (Créditos: Parque Arqueológico de Pompeia via AP)

Zuchtriegel observou que, embora o pátio também tivesse uma cisterna excepcionalmente bem adornada, “evidentemente, os recursos (financeiros) não eram suficientes para decorar os cinco cômodos da casa”. Um quarto tinha paredes sem pintura e um piso de terra aparentemente usado para abastecimento.

Nesta imagem fornecida pela assessoria de imprensa do sítio arqueológico de Pompeia, um arqueólogo trabalha no local de uma nova descoberta. (Créditos: Parque Arqueológico de Pompeia via AP)

Em um quarto, os arqueólogos encontraram os restos de uma cama com um vestígio de tecido do travesseiro. O tipo de cama é idêntico a três camas semelhantes a berços desenterradas no ano passado em um pequeno quarto em outra residência que os arqueólogos acreditam ser um depósito e dormitório para uma família de habitantes escravizados de Pompeia.

As descobertas do quarto anunciadas no sábado também incluíam os restos de um baú de madeira com a tampa aberta. Embora o peso das vigas e dos painéis do teto que caíram na sequência da erupção vulcânica tenham danificado fortemente a madeira, entre os objetos encontrados no interior estava uma lâmpada a óleo decorada com um baixo-relevo representando a antiga divindade grega Zeus sendo transformada em águia. Perto havia uma pequena mesa redonda de três pés, semelhante às mesas laterais em voga hoje.

(Créditos: Parque Arqueológico de Pompeia via AP)

A exposição da despensa revelou um armário de madeira, com o encosto ainda intacto, mas as prateleiras desmoronadas. Os arqueólogos acreditam que o armário tinha pelo menos quatro portas de painel e continha utensílios de cozinha e pratos para a cozinha próxima. As escavadeiras encontraram uma dobradiça do recinto.

Outros objetos encontrados na casa incluem um grande fragmento do que era uma placa translúcida e bordada em tons brilhantes de azul cobalto e esmeralda, e um queimador de incenso bem preservado, em forma de berço.