Pela primeira vez, astrônomos avistam um disco de formação de lua ao redor de um exoplaneta

0
106
Disco de detritos ao redor da estrela (esquerda) com close-up do exoplaneta e seu disco (direita). Créditos: ALMA / Benisty.

Por Andy Tomaswick
Publicado no Universe Today

A formação planetária é um processo complexo de várias formas. Mesmo com o influxo de dados sobre exoplanetas, ainda existem apenas dois planetas conhecidos que ainda não estão totalmente formados.

Conhecidos como PDS 70b e PDS 70c, os dois planetas, que foram originalmente encontrados pelo Very Large Telescope, são alguns dos melhores objetos que temos para concretizar nossos modelos de formação planetária. E agora, foi confirmado que um deles tem um disco de formação de lua ao seu redor.

Essa percepção adicional veio de observações conduzidas pelo ALMA. Os astrônomos há muito previam que o planeta PDS 70c estava rodeado por tal disco, mas com as imagens que capturaram anteriormente, eles não puderam confirmar sua existência. Agora, foi fisicamente confirmado sem sombra de dúvida.

A formação de luas é ainda menos bem compreendida do que a formação planetária neste ponto. Mesmo as origens de nossa própria Lua ainda estão em debate. Mas a descoberta do PDS 70c tem o potencial de esclarecer a criação de pelo menos uma enquanto assistimos. Na verdade, há material suficiente no disco para criar três luas do tamanho da nossa em torno de um planeta semelhante a Júpiter.

O processo de formação de lua também desempenha um papel fundamental na formação planetária, com discos circunplanetários que podem formar luas também influenciando a criação do próprio planeta. Observar a evolução do disco ajudará os cientistas com seus modelos de formação lunar e planetária.

Essa evolução certamente levará milhões de anos, mas até agora PDS 70c é o único planeta conhecido com qualquer tipo de disco circunplanetário.

O mesmo conjunto de dados confirmando sua existência mostrou que seu gêmeo semelhante a Saturno, PDS 70b, não tem um disco que alguns cientistas haviam sugerido anteriormente. Outros podem ser encontrados com telescópios mais poderosos, mas até então este sistema é o melhor que temos.

Dada a sua singularidade, o sistema PDS 70 permanecerá um ponto de destaque com alto poder de observação. Agora há mais um detalhe importante a ser examinado com esses instrumentos – esperançosamente, haverá mais detalhes a serem descobertos também.