Pesquisa sugere cautela durante cirurgia de catarata para pacientes com problemas no coração

0
522
Crédito: Drauzio Varella.

A catarata é uma doença que afeta os olhos, prejudicando progressivamente a qualidade visual durante o envelhecimento. A perda da acuidade visual leva a uma redução na qualidade de vida de idosos em todo o mundo. As cataratas também resultam em um problema econômico para a família do paciente, deteriorando a saúde global e aumentando a mortalidade.

A cirurgia de catarata restaura a transparência da lente e corrige os defeitos. A intervenção cirúrgica é considerada como um tratamento eficiente para a correção da catarata, o procedimento envolve a remoção e a substituição por uma lente artificial adequada. A cirurgia de catarata tornou-se um dos procedimentos mais fáceis e eficientes de todos os procedimentos ambulatoriais modernos.

Uma pesquisa publicada na revista Clinics por pesquisadores da Faculdade de Medicina do ABC, Universidade Federal do Acre e UNESP/Marília analisou o controle autonômico do ritmo do coração em pacientes com catarata durante o procedimento cirúrgico.

O método empregado foi a variabilidade da frequência cardíaca (VFC), a qual é validada pela literatura para fornecer informações importantes acerca da regulação autonômica do ritmo cardíaco e riscos cardiovasculares. O estudo transversal e analítico avaliou 19 pacientes indicados para a cirurgia de catarata. A VFC foi analisada antes, durante e 10 minutos depois do procedimento.

Os resultados indicaram que durante o procedimento cirúrgico, o componente parassimpático do ritmo cardíaco aumentou significantemente, devido à atividade do nervo vago sobre o coração. Os autores levantaram uma hipótese com base no ramo oftálmico do nervo trigêmeo, que é capaz de estimular um reflexo bradicárdico. Sua estimulação durante o procedimento cirúrgico causa o aumento da atividade do sistema nervoso parassimpático.

Desta maneira, os pesquisadores chamam a atenção para os oftalmologistas serem mais cautelosos com pacientes portadores de bradicardia patológica, pois a estimulação do ramo oftálmico do nervo trigêmeo pode intensificar a bradicardia, aumentando a possibilidade de parada cardíaca.

Estudo

  • Aoki RH, Bezerra IMP, Almeida-Júnior AD, Barbosa RTA, Valenti VE, Oliveira FR, Roque AL, Ferraz E Souza Júnior HM, Garner DM, Raimundo RD, Abreu LC. The effects of cataract surgery on autonomic heart rate control: a prospective cross-sectional and analytical study. Clinics (Sao Paulo). 2019;74:e809. doi:10.6061/clinics/2019/e809

Referências

  1. Kanski JJ. 2004. Oftalmología clínica: uma abordagem sistemática.
  2. Takemoto L, Sorensen CM. Protein-protein interactions and lens transparency. Exp Eye Res. 2008;87((6)):496–501. doi:10.1016/j.exer.2008.08.018.
  3. Apple DJ. Blindness in the world. Surv Ophthalmol. 2000;45((Suppl 1)):S21–31.
  4. Evans JR, Fletcher AE, Wormald RP, MRC Trial of Assessment, Management of Older People in the Community. Causes of visual impairment in people aged 75 years and older in Britain: an add-on study to the MRC Trial of Assessment and Management of Older People in the Community. Br J Ophthalmol. 2004;88((3)):365–70. doi:10.1136/bjo.2003.019927.
  5. Danquah L, Kuper H, Eusebio C, Rashid MA, Bowen L, Foster A, et al. The long term impact of cataract surgery on quality of life, activities and poverty: results from a six year longitudinal study in Bangladesh and the Philippines. PloS One. 2014;9((4)):e94140. doi:10.1371/journal.pone.0094140.
  6. Finger RP, Kupitz DG, Holz FG, Balasubramaniam B, Ramani RV, Lamoureux EL, et al. The impact of the severity of vision loss on vision-related quality of life in India: an evaluation of the IND-VFQ-33. Invest Ophthalmol Vis Sci. 2011;52((9)):6081–8. doi:10.1167/iovs.11-7388.