Pesquisadores auxiliam investigação de uma suspeita de homicídio

0
527

Restos mortais humanos foram encontrados em uma região da Suíça. Esse tipo de caso tende a ser de difícil investigação devido às informações escassas da cena, inclusive para fazer a estimativa de morte.

Um artigo publicado no mês de janeiro na Scientific Reports por pesquisadores da Universidade de Reading na Inglaterra e da Universidade de Neuchâtel na Suíça estudaram o solo e outros organismos presentes nesse local.

No solo de um corpo em decomposição podemos encontrar diversos organismos se alimentando desse processo, como bactérias, fungos, nematoides, ácaros, moscas, besouros e diversos outros eucariotos microscópicos. O grupo de especialistas analisou somente microrganismos. Eles acreditam que só olhando para esses componentes biológicos é possível obter informações que irão conduzir às investigações criminais.

Restos mortais humanos encontrados na floresta da Suíça. As partes queimadas não estão na imagem.

O corpo foi localizado em uma floresta no interior do país, sua decomposição estava tão avançada que somente ossos, cabelos e pele estavam presentes. Poucos ou quase nenhum dos insetos são encontrados nesse estágio, dificultando os investigadores determinarem quando o individuo morreu. Por isso, a equipe passou a analisar o solo e entender como era a comunidade que está vivendo sob o corpo e comparando com a diversidade local.

Ossos e cabelos foram coletados para análise de DNA e análise morfológica. Foi revelado que o indivíduo era do sexo masculino com idade aproximada de 18-25 anos de idade, também existiam sinais de queimadura nos ossos, principalmente nas pernas e braços.

Uma maior densidade de nematoides foi encontrada sob a parte superior do corpo em comparação com as amostras de solo distantes da ilha de decomposição. A diversidade de famílias também foi diferente, com uma menor diversidade do que a floresta e com os principais grupos presentes sendo bacterívoros. Nematoides são excelentes bioindicadores de estresse ambiental. Com o aumento das bactérias, os vermes bacterívoros aumentam seguindo o modelo predador-presa e os nematoides predadores diminuem, pois são sensíveis a alterações ambientais.

Larva do ácaro Sancassania berlesei encontrado na parte superior dos restos mortais que auxiliou na investigação criminal.

Uma diversidade de ácaros foi encontrada no cadáver, os quais, não pertencem à diversidade da floresta. Sendo ela associada a fazendas de aves e porcos, pouco frequente em áreas agrícolas de cereais. Está mesma fauna indicou pelo seu desenvolvimento que o corpo esteve escondido por um determinado tempo em algum local úmido, talvez coberto por algum saco, roupas ou mesmo dentro de algum container.

Através dos microeucariotos, ácaros e nematoides, o intervalo de tempo do transporte do corpo para a floresta foi estimado em torno de um ano. Traços de queimadura indicaram uma tentativa de queimar o corpo no local.

A análise com o banco de dados da Suíça identificou a vítima, a qual, estava desaparecida a 22 meses até o encontro do corpo, suportando os dados encontrados na pesquisa. Todas as informações obtidas auxiliaram as investigações da polícia suíça.

Referências

  • Szelecz, I., Lösch, S., Seppey, C.V.W., Lara, E., Singer, D., Sorge, F., Tschui, J., Perotti, M.A. & Mitchell, E.A.D. (2018).  Comparative analysis of bones, mites, soil chemistry, nematodes and soil micro-eukaryotes from a suspected homicide to estimate the post-mortem interval. Scientifc  Reports 8, v25.
CONTINUAR LENDO