Pessoas infectadas sem sintomas aparentes são a maior fonte de contaminação do novo coronavírus

0
675
Crédito: Fusion Medical Animation on Unsplash.

Os coronavírus fazem parte de um grupo de vírus que foram isolados pela primeira vez em 1937, cujas infecções afetam o sistema respiratório. A grande maioria das pessoas no mundo se contamina por esse vírus. Mais recentemente, houve uma mutação e surgiu a COVID-19, o novo coronavírus (SARS-CoV-2).

O novo coronavírus foi documentado pela primeira vez em Wuhan, China no final de 2019. Esse vírus se espalhou rapidamente para todas as províncias chinesas e, em 1 de março de 2020, para 58 outros países. A transmissibilidade e virulência desse patógeno dificulta a eficácia dos esforços para conter a COVID-19.

Um estudo publicado na renomada revista Science, dia 16 de março de 2020, desenvolveu um modelo matemático que simula a dinâmica espaço-temporal de infecções pela COVID-19 entre 375 cidades chinesas. Nesse modelo, foram divididas as infecções em duas classes: (1) indivíduos infectados documentados com sintomas graves o suficiente para serem confirmados, ou seja, infecções observadas; e (2) indivíduos infectados não documentados.

A disseminação espacial da COVID-19 pelas cidades foi capturada pelo número diário de pessoas que viajam de uma cidade X para outra cidade Y, um fator multiplicativo. Especificamente, o número diário de viajantes entre 375 cidades chinesas durante o período do Festival da Primavera Chunyun foi derivado de dados de mobilidade humana coletados pelo Serviço com base em localização da Tencent durante o período de Chunyun 2018 (1 de fevereiro a 12 de março de 2018). O Festival da Primavera Chunyun foi um período de 40 dias – 15 dias antes e 25 dias após o Ano Novo Lunar – durante o qual há altas taxas de viagens na China. Para estimar a mobilidade humana durante o período do Festival da Primavera Chunyun de 2020, que começou em 10 de janeiro, foram alinhados os dados de 2018 da Tencent com base no tempo relativo ao Festival da Primavera. Por exemplo, foram usados dados de mobilidade de 1 de fevereiro de 2018 para representar o movimento humano em 10 de janeiro de 2020, pois esses dias estavam igualmente distantes do Ano Novo Lunar. Durante o Festival da Primavera Chunyun de 2018, um total de 1,73 bilhão de eventos de viagens foram capturados nos dados da Tencent, enquanto foram relatados 2,97 bilhões de viagens. Para compensar a subnotificação e reconciliar esses dois números, foi incluído um fator multiplicador de deslocamento que é maior que 1.

Para inferir a dinâmica da transmissão COVID-19 durante o estágio inicial do surto, foram simuladas observações entre 10 e 23 de janeiro de 2020 (ou seja, o período antes do início das restrições de deslocamento). Com esse sistema combinado de inferência de modelo, foram estimadas as trajetórias de quatro variáveis ​​de estado de modelo de subpopulações infectadas suscetíveis, expostas, documentadas e infectadas e não documentadas na cidade para cada uma das 375 cidades, enquanto foram deduzidos simultaneamente seis parâmetros do modelo: o período médio latente, a duração média da infecção, o fator de redução da transmissão para infecções não documentadas, a taxa de transmissão para infecções documentadas; a fração de documentada; infecções e o fator multiplicativo da viagem.

Os resultados de 10 a 23 de janeiro de 2020 delinearam as características da COVID-19 que se deslocaram através de uma sociedade desenvolvida, a China, sem grandes restrições ou controle. Esses achados forneceram uma avaliação de base da fração de infecções não documentadas e de sua relativa transmissibilidade para o ambiente. No entanto, diferenças na atividade de controle, vigilância e testes virais e definição e notificação de casos provavelmente afetariam as taxas de documentação da infecção. Assim, as principais conclusões de que 86% das infecções não foram documentadas e que, por pessoa, essas infecções não documentadas eram 55% tão contagiosas quanto as infecções documentadas, poderiam mudar em outros países com práticas diferentes de controle, vigilância e notificação.

Portanto, os resultados apontam que a maior parte da contaminação da COVID-19 ocorre por meio de pessoas infectadas sem sintomas aparentes.

Referência

  • Li, R., Pei, S., Chen, B., Song, Y., Zhang, T., Yang, W., & Shaman, J. (2020). Substantial undocumented infection facilitates the rapid dissemination of novel coronavirus (COVID-19). medRxiv. DOI: 10.1126/science.abb3221