Primeira Guerra Mundial: Conheça o homem que poderia ter matado Hitler (ou não)

6
11149

Publicado na BBC

Não é restrito o conhecimento da Segunda Guerra Mundial. Provavelmente, todos os leitores desse site sabem que seu acontecimento foi bastante importante para o rumo do século XX e suas consequências são vistas até os dias de hoje. Certamente, também saibam que Adolf Hitler foi uma das principais personagens do evento. A crueldade de suas ideias em prol de uma raça superior não teve limites. Várias pessoas foram dizimadas tendo uma utopia como justificativa.

Hitler, além de ter participado da Segunda Guerra Mundial, participou, também, da Primeira. Os resultados nefastos dela (como o Tratado de Versalhes) provocaram um sentimento de revolta tanto nele quanto no povo alemão (o que facilitou sua ascendência). No entanto, Hitler poderia não ter feito nada disso. Pouca gente sabe, mas, na Primeira Guerra, o futuro ditador supostamente se deparou com a morte ao ter um soldado britânico com a arma apontada para sua cabeça. O nome dele era Henry Tandey, posteriormente, condecorado como herói de guerra.

A história foi relatada por Hitler ao ter recebido uma visita do então Primeiro-Ministro Britânico Neville Chamberlain. Ele alegou que, na Primeira Guerra, Tandey e alguns colegas pouparam uma certa quantidade de alemães, recusando-se a matá-los pelo fato de estarem desarmados e feridos. Dentre tais, estava Hitler.

“Aquele homem chegou tão perto de me matar que achei que nunca veria a Alemanha novamente”, disse Hitler.

Durante a visita, Chamberlain notou que, no retiro de Hitler, havia um quadro na parede, descrevendo, supostamente, a Batalha de Menin, em 1914. Um dos soldados retratados parecia ser o Tandey. O museu Howards Green confirmou que havia, realmente, uma cópia de um retrato sob posse de Hitler, feita pelo pintor Fortunino Matania.

_76670460_paintingcloseup

O museu tem, também, uma carta de agradecimento do assessor de Hitler, Capitão Fritz Weidemann: “O Führer é, naturalmente, interessado em registros relacionados às suas próprias experiências de guerra. Ele esteve, obviamente, exaltado quando mostrei essa pintura a ele”.

No entanto, há controvérsias. A história também é uma ciência e, portanto, não basta apenas analisar um relato para tomar determinada coisa como um fato. Hitler, aparentemente, queria reconhecer um soldado que ele havia conhecido durante a Primeira Guerra, mas, na realidade, a pintura trata-se de uma batalha que aconteceu em 1914 (enquanto o que estamos falando deva ter acontecido por volta de 1918).

Dr. David Johnson, biógrafo de Henry Tandey, lança mais dúvidas ao conteúdo. Ele diz que, mesmo que as datas se compactuem, o soldado Tandey estava bastante ferido, com muitos sangramentos, tornando-se, pois, quase irreconhecível, ao contrário do que mostra a pintura. Ainda, Dr. Johnson alega que não há nenhuma forma dos dois terem cruzado o mesmo caminho.

Em 17 de Setembro, a tropa de Hitler estava 80 quilômetros ao norte de Tandey. O encontro aconteceu, supostamente, em 28 de Setembro de 1918, enquanto Hitler estava partindo em retirada entre 25 e 27 de Setembro.

“Hitler pode ter, simplesmente, inventado a história. Principalmente, porque Henry Tandey foi um dos soldados britânicos mais condecorados da guerra”, diz Dr. Johnson. “Se ele tiver estado à beira da morte perante um soldado, quem melhor para ser tal do que alguém que ganhou as medalhas Victoria Cross, Military Medal e Distinguished Conduct Medal em apenas uma semana?”.

Dr. Johnson faz, ainda, outro questionamento acerca da história de Chamberlain. Supostamente, o primeiro-ministro, ao chegar em seu país, fez uma ligação para Tandey, visando a contar o que havia visto quando estava com Hitler. Aparentemente, um dos seus sobrinhos que atendeu à ligação. Mesmo assim, ainda há dúvidas sobre se essa ligação aconteceu. Primeiro, porque Chamberlain era um homem muito ocupado, que, provavelmente, não ligaria apenas para contar isso. Segundo, porque acha-se que Tandey não tinha nenhum telefone.

A história, mesmo assim, persistiu, vindo á tona em 1938. Tandey foi mencionado por um oficial que tinha contatos com Chamberlain.

Tandey não comentou sobre o assunto, mas disse que, realmente, poupou soldados em 1918.

Na foto, da esquerda para a direita, Chamberlain, Daladier, Hitler, Mussolini e Ciano.
Na foto, da esquerda para a direita, Chamberlain, Daladier, Hitler, Mussolini e Ciano.

“De acordo com eles, eu conheci Hitler”, disse Handey, em 1939, ao falar, dessa vez, diretamente sobre o assunto. “Talvez, estejam certos, mas eu não me lembro dele”.

Um ano depois, no entanto, ele pareceu mais convicto. “Se eu soubesse ao menos o que Hitler iria se tornar”.

“Quando vejo todas as crianças e mulheres que Hitler matou, peço perdão a Deus por tê-lo deixado ir”.

No entanto, as únicas evidências do que estamos discorrendo são anedotas, nada mais do que isso. Então, a história ainda permanece incerta.

CONTINUAR LENDO
Compartilhar
Artigo anteriorIntrodução à Filosofia Científica
Próximo artigoEinstein estava errado?
Josikwylkson Costa Brito
Olá, meu nome é Josikwylkson Costa Brito (não, meu pai não deu uma cabeçada no teclado), mais conhecido como o Príncipe do Cosmos Nordestino, e nasci na cidade de Campina Grande, na Paraíba, onde moro atualmente. Tenho 18 anos atualmente, estou no segundo ano do curso de medicina e publico textos de cunho científico ou filosófico para o presente site, porém, em virtude dos estudos, não estou a fazê-lo com muita frequência. De todas as minhas publicações, gosto de publicar no âmbito de minha área (saúde), mas também arrisco em postar textos que contradigam o senso comum e que criticam as pseudociências, o que me faz ser esquartejado por muitos irracionalistas (que, inclusive, andam vagando por essa página). As críticas que mais recebo desses senhores são as de que não tenho autoridade o suficiente para falar de determinado assunto (mesmo que eu poste artigos científicos advindos de sites e/ou universidades de confiança). Então, em razão dos 'amigáveis' seguidores que se travestem de conhecedores de argumentação lógica e que rejeitam qualquer postagem minha por tal status, por favor, finjam que eu sou uma pessoa com 40 anos doutor em filosofia, cosmologia, biologia e medicina.

6
Deixe um comentário

avatar
3 Comment threads
3 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
5 Comment authors
Pedro LucasLuis FreitasLeoAntonio DuarteRodrigo Recent comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Antonio Duarte
Visitante
Antonio Duarte

E esse é o Brasil

Pedro Lucas
Visitante
Pedro Lucas

?

Antonio Duarte
Visitante
Antonio Duarte

Bem, o que tenho a dizer em relação aos comentários críticos: é que para a maiorias das pessoas principalmente as brasileiras, é que, é mais fácil ignorar ou criticar do que tentar entender. Outra coisa. não se trata da sua idade, a questão é por que somos “nordestinos”, ao que parece que não temos o direito de ter conhecimento. Porque, se fosse alguém, lá SUL ou Sudeste, ou melhor ainda, um garoto Americano ou Europeu, seria a encarnação do Einstein. Esse é o Brasil!!!! infelizmente meu “país!”.Adorei muito sua publicação, siga em frente que você tem muito a contribuir ao… Read more »

Leo
Visitante
Leo

Desculpe aí!!! Mas o preconceito começa com você mesmo!! Não precisa reforçar que é nordestino, basta dizer que é de tal cidade e pronto.

Luis Freitas
Visitante
Luis Freitas

Não entendi a relação o que você disse com o assunto.

Rodrigo
Visitante
Rodrigo