Quarto de escravos romanos incrivelmente preservado é encontrado em Pompeia após 2.000 anos

0
68
O 'quarto dos escravos'. Créditos: Parque Arqueológico de Pompeia / Ministério de Patrimônio Cultural, Atividades e Turismo.

Por Bethany Dawson
Publicado no Business Insider

Uma quarto imaculadamente preservado, antes habitado por escravos, foi descoberto na antiga cidade romana de Pompeia, na Itália, de acordo o Parque Arqueológico de Pompeia.

No pequeno quarto sem decoração de apenas 16 metros quadrados, permanecem três camas, um penico que teria sido usado como banheiro, uma arca de madeira com arreios de cavalo e uma única janela pequena. O eixo de uma carruagem também foi encontrado, sugerindo que os escravos também usavam seu quarto como espaço de trabalho para consertar o meio de transporte de seu mestre, relatou o The Guardian.

Uma das camas teria pertencido a uma criança.

Camas, ânforas, jarros de cerâmica e penico. Créditos: Parque Arqueológico de Pompeia / MiC / Reuters.

Os arqueólogos atribuem a “incrível preservação” da sala à enorme erupção do Monte Vesúvio em 79 d.C., que destruiu a cidade romana de Pompeia.

Gabriel Zuchtriegel, diretor-geral do parque arqueológico de Pompeia, destacou as descobertas no sítio arqueológico de Pompeia como uma “janela para a realidade precária de pessoas que raramente aparecem em fontes históricas”.

Ele acrescentou que a descoberta foi “excepcional” e “é certamente uma das descobertas mais emocionantes durante minha vida como arqueólogo”.

“O verdadeiro tesouro aqui é a experiência humana, neste caso dos membros mais vulneráveis ​​da sociedade antiga, para a qual este quarto é um testemunho único”, disse Zuchtriegel.

A vila Civita Giuliana, fora das muralhas da cidade de Pompeia, foi escavada pela primeira vez em 2017 e, desde então, vários achados impressionantes foram descobertos, incluindo uma carruagem cerimonial e um estábulo.

Planta dos quartos e estábulos. Créditos: Agence France-Presse / Parque Arqueológico de Pompeia.

Em novembro de 2020, a equipe do Parque Arqueológico de Pompeia conseguiu usar os restos de vida humana na vila e criar réplicas de moldes de gesso de dois humanos que morreram ali na erupção do Vesúvio.

Nesta expedição, foram encontrados dois corpos, considerados de mestre e escravo.

Restos mortais de dois homens mortos na erupção de Pompeia, 79 d.C. Créditos: Luigi Spina / Reuters.

Os corpos estavam deitados juntos em uma câmara subterrânea de uma vila também em Civita Giuliana. Rachel Hosie, do Business Insider, conta a história completa.

As ruínas de Pompeia foram descobertas pela primeira vez no século 16, com mais de 1.500 das 2.000 vítimas estimadas encontradas até agora.