Restos de crianças vítimas de sacrifícios são encontrados perto de múmia de 1.000 anos no Peru

Após uma descoberta prévia, mais 20 múmias foram encontradas.

0
145
Um invólucro funerário de uma múmia de criança recentemente encontrado no Complexo Arqueológico de Cajamarquilla, no Peru. A descoberta foi apresentada por arqueólogos do Royal College da Universidade Nacional Maior de São Marcos (UNMSM). Créditos: Carlos Garcia Granthon / Fotoholica / LightRocket via Getty Images.

Por Owen Jarus
Publicado na Live Science

Os restos mortais de 20 pessoas que podem ter sido vítimas de um ritual de sacrifício foram encontrados perto de uma múmia no Peru.

A múmia, um homem, foi encontrada em 2021 em uma tumba subterrânea na antiga cidade de Cajamarquilla, nos arredores de Lima. O homem estava deitado em posição fetal, e a notável preservação da múmia foi manchete em todo o mundo. Na época, os arqueólogos acreditavam que o homem tinha entre 18 e 22 anos quando morreu, mas novas pesquisas sugerem que o homem tinha cerca de 35 anos no momento de sua mumificação, disseram os pesquisadores em um comunicado sobre a descoberta. Arqueólogos chamaram a múmia de “Chabelo”.

Os restos recém-descobertos incluem os de oito crianças que foram embrulhadas em invólucros funerários, bem como os esqueletos de 12 adultos. Algumas das crianças têm evidências de violência, como fraturas, e é possível que algumas das crianças tenham sido sacrificadas como parte de um ritual funerário, disseram os pesquisadores.

Artefatos e múmias infantis recuperados do Complexo Arqueológico de Cajamarquilla, no Peru. Créditos: Carlos Garcia Granthon / Fotoholica / LightRocket via Getty Images.

“Sabemos que as sociedades andinas tinham uma série de práticas funerárias, rituais e, a partir de cosmovisão, tinham uma maneira de ver o mundo completamente diferente da nossa”, disse Pieter Van Dalen Luna, professor de arqueologia da Universidade Nacional Maior de São Marcos que lidera a equipe que está escavando o local, disse no comunicado. “A concepção da morte era muito importante para eles; era um mundo paralelo, a morada dos mortos”.

A equipe planeja realizar análises de DNA e datação por radiocarbono nos restos mortais para aprender mais sobre as pessoas.

A cidade de Cajamarquilla tinha quatro pirâmides há cerca de 1.000 anos, quando o homem viveu. Na época, era um importante local de comércio entre os povos que viviam nas áreas costeiras e montanhosas do Peru. No entanto, apenas cerca de 1% do local foi escavado, disseram os arqueólogos no comunicado.

Os arqueólogos não encontraram vestígios de um sistema de escrita que datasse dessa época no Peru, então os estudiosos precisam confiar muito em vestígios arqueológicos para entender como era a vida das pessoas nessa época.