Stephen Hawking diz que encontrou um jeito de escapar de um buraco negro

Hawking fora da KTH Royal Institute of Technology, em Estocolmo, ontem.

Por Jacob Aron
Publicado na New Scientist

Qualquer coisa que cair em um buraco negro sumirá para sempre, certo? Não é bem assim, diz Stephen Hawking.

“Se você sente que está em um buraco negro, não desista,” disse Hawking em uma conferência pública em Estocolmo, na Suécia, ontem. Ele disse antes de seu discurso científico na Conferência da Radiação Hawking realizada em KTH Royal Institute of Technology, em Estocolmo. “Há uma saída.”

Você provavelmente sabe que os buracos negros são estrelas que entraram em colapso sob sua própria gravidade, produzindo forças gravitacionais tão fortes que até mesmo a luz não poderia escapar. Qualquer coisa que cai para dentro de um buraco negro é pensada para ser rasgada (ou espaguetificada) devido a sua gravidade maciça, sem que jamais pudéssemos vê-la ou ouvi-la de novo.

O que talvez você não saiba é que os físicos têm argumentado há 40 anos sobre o que aconteceria com as informações sobre o estado físico desses objetos quando caem. A mecânica quântica afirma que esta informação não pode ser destruída, mas a relatividade geral diz o contrário – é por isso que este argumento é conhecido como o paradoxo da informação.

Agora Hawking diz que esta informação não necessariamente fica no buraco negro. “Proponho que a informação armazenada não fica no interior do buraco negro como se pensava, mas em sua fronteira, o horizonte de eventos”, disse ele hoje.

O horizonte de eventos é a esfera em torno de um buraco negro de dentro da qual nada pode escapar de suas garras. Hawking está sugerindo que as informações sobre as partículas que atravessam são translaçadas em um tipo de holograma – uma descrição 2D de um objeto 3D – que fica na superfície do horizonte de eventos. “A ideia é que super translações são hologramas de partículas que atravessaram,” disse ele. “Assim, eles contêm todas as informações que de outra forma seriam perdidas.”

Então, como é que isso ajuda alguma coisa a escapar do buraco negro? Na década de 1970, Hawking introduziu o conceito de radiação Hawking – fótons emitidos por buracos negros devido a flutuações quânticas. Originalmente, ele disse que esta radiação não deixa informações dentro do buraco negro, mas em 2004 mudou de ideia e disse que poderia ser possível obter informações na saída.

Como isso funciona ainda permanece um mistério, mas Hawking acredita estar no caminho certo. Sua nova teoria diz que a radiação Hawking pode pegar algumas informações armazenadas no horizonte de eventos, uma vez que ela é emitida. Mas não espere conseguir uma mensagem a partir de dentro, disse ele. “As informações sobre a entrada de partículas são devolvidas, mas de uma forma caótica e inútil. Isto resolve o paradoxo de informação. Para todos os efeitos práticos, a informação é perdida.”

No ano passado, houve manchetes dizendo “não há buracos negros” – embora o que ele realmente tinha dito era algo um pouco mais complexo, como a ideia de substituir o horizonte de eventos com um conceito relacionado, um horizonte aparente. Esta nova ideia é compatível com a anterior, que não foi realmente novidade para os físicos teóricos, diz Sabine Hossenfelder do Instituto Nórdico de Física Teórica em Estocolmo, que assistiu a palestra de Hawking.

“Por duas vezes, desde o início, ele está dizendo que a informação está lá, por isso nunca é destruída no buraco negro”, diz ela. “Pelo menos é isso que eu entendi.”

Hawking e seus colegas dizem que vão publicar um artigo sobre o trabalho no próximo mês, mas é claro que ele ainda está mirando para a ideia de que os buracos negros são inescapáveis. Ainda é possível que a informação saia em universos paralelos, disse ele ontem ao público.

CONTINUAR LENDO
Artigo anteriorTradição x Modernidade no início do século XIX
Próximo artigoSimulações indicam que extinções em massa podem acelerar o processo evolutivo
Douglas Rodrigues Aguiar de Oliveira
Sou fundador da Universo Racionalista | Graduando em Tecnologia em Redes de Computadores pela Universidade de Franca | Especialista em Fundamentals of Computing Network Security ( • Design and Analyze Secure Networked Systems • Basic Cryptography and Programming with Crypto API • Hacking and Patching • Secure Networked System with Firewall and IDS ) pela University of Colorado | Especialização em andamento em Cybersecurity ( • Computer Forensics • Network Security • Cybersecurity Fundamentals • Cybersecurity Risk Management • Cybersecurity Capstone ) pela Rochester Institute of Technology | Certificação em Information Security Specialist ( • InfoSec Foundation • Ethical Hacking Essentials • Computer Forensics Foundation ) pela ITCERTS | Certificação em Information Security Analyst ( • Information Security Policy Foundation • Vulnerability Management Foundation ) pela ITCERTS | Cursei integralmente as disciplinas teóricas em Licenciatura em Filosofia pela Universidade de Franca, mas não realizei o estágio supervisionado para a obtenção do diploma de Ensino Superior | Especialista em Journey of the Universe: A Story for Our Times pela Yale University | Colaborador do Instituto Ética, Racionalidade e Futuro da Humanidade | Colunista da Climatologia Geográfica | Membro da Rede Brasileira de Astrobiologia | Abaixo, segue o endereço do currículo na plataforma Lattes e LinkedIn.